AUMENTE SEU PÊNIS EM ATÉ 8 CM  TÉCNICAS 100% NATURAIS

TOPO

     Temos o manual mais videos para você aumentar seu pênis
USANDO SOMENTE AS MÃOS, SEM APARELHOS!
Clique aqui para ver mais detalhes e fazer o pedido
Corrigir a curvatura do penis torto, aumentar o tamanho do penis, video de penis grande, videos de penis pequeno

Os melhores contos eróticos da internet você lê abaixo:
Sexo na Balada

Em um belo sábado, uma amiga minha muito amiga mesmo e a minha única amiga mulher. Chamou-me pra ir a uma boate no Belvedere, chegando lá tava uma turminha da minha amiga que eu não conhecia ninguém. E no meio dessa turma tinha uma loira linda, que quando a vi já fiquei imaginando coisas com ela..rs

Cumprimentei com um beijo no rosto e logo depois o marido dela me comprimento fiquei sabendo que era marido dela na hora ali. E vi um volume na blusa dele perguntei minha amiga se ele era policial e ela confirma e ficou meio assustado com isso. Mas num tirava a loira da minha cabeça, entramos na boate, começo de festa todo mundo tímido e tal. Eu mais ainda porque não conhecia ninguém da turma só minha amiga.

E como era Open-Bar começamos a beber, ai fomos pra uma área mais restrita ai ficamos com a turma mais junta. Começamos a dançar como conhecia só minha amiga né, comecei a dançar com ela e de repente chega à loira atrás de mim dançando, ai eu comecei a rebolar na frente dela e ela ia passando a mão em mim ai eu fui ficando com tesão quando vi meu pau já tava duro e latejando. Virei-me de frente pra ela e comecei a esfregar meu pau nela e como ela não acho ruim, continuei e nisso já tinha me esquecido de seu marido.

Só lembrei que quando o vi ele, sair de perto dela na hora e voltei a dançar com minha amiga, ai passo mais um tempo, vem a loira de novo dançar perto de mim e eu com aquele tesão de pau duro doido pra poder meter na buceta daquela loira gostosa.

Minha amiga me viro de frente pra ela e chamo a loira pra perto e ficamos nos três de frente um pro outro, como estava só nos três lasquei um beijo na boca da loira e falei no ouvido dela.

?Gostosa eu to loco pra te comer? disse a ela.
Ai ela olho com aquela cara de safada pra minha cara... E eu tava morrendo de medo do marido dela desconfiar e tirar a arma e me da uns tiro...kkk
Mas continuamos a dançar e beber, ai rolo funk e a loira veio pra perto de mim... Só dela chagar perto meu pau já fica duro igual uma pedra. Ela começo a dançar e rebolando na minha frente e relando aquele bandão gostoso dela no meu pau, não aquentei e despistada mente comecei a passar a mão na buceta dela, foi uma delicia.

Não estava aquentando de tanto tesão...Ai acabo a musica, e ela saiu pra la. Imaginei; deve ter ido no banheiro pra ficar longe do marido. Despistei e sai pra lá minutos depois, quando tava no meio do caminho ela já estava voltando.

Pensei comigo ?Perde a chance??. Como a boate tava muito cheia ela me agarro e começo a me beijar e pegar no meu pau e falando que queria dar pra mim ai eu fiquei louco. Ela me levo pra perto do banheiro e me puxo lá pra dentro e já foi logo tirando minhas calças e começo a morder meu pau sobre a cueca, nossa fiquei louco de tesão.

Então ela tiro meu pau pra fora e enfio todo na boca e começo a aquele boquete maravilhoso. Ela chupava o meu pau e olhando pra mim com aquela cara de safada. Não acreditava que eu ia comer uma loira tão gostosa e ainda casada com um PM.

Isso me deu mais tesão ainda, enquanto ela tava me chupando esquecei até que estava em uma boate. Ela me chupava e eu ia gemendo de tanto prazer, ela engolia tudo cuspia nele passava a língua na cabeça e já estava quase gozando.

Ela falou em meu ouvido "METE NA MINHA BUCETA" nossa, só virei ela e abaixei as calças dela e ela tava sem calcinha me deu mais tesão. Então mete a minha rola naquela buceta maravilhosa.

E ela começa a gemer e pedindo pra meter com força, metia com mais força ainda e ela gemendo de prazer. Ate que ela gozou no meu pau, foi uma delicia ela me arranho todo quando ela gozou.

Ela me sento no vazo e pediu pra chupar a buceta dela, com todo prazer do mundo comecei a chupar aquela maravilhosa buceta encharcada. Chupei ela bem gostoso ate ela gozar na minha boca.

Depois disso, ela me pergunto assim... "Você quer gozar na minha buceta quer??" Eu logo falei que sim e do mesmo jeito que eu tava sentado fiquei.

Ela sentou no meu pau e começo a cavalgar como se ela tivesse em um cavalo, cada vez mais forte e gemendo no meu ouvido e me chamando de gostoso. Até que eu não aquentei mais e gozei na buceta dela, que delicia!!! Gozei gostoso naquela buceta gostosa.

Em seguida ela pediu pra que saísse e ela fico lá. Na hora que estava saindo a minha amiga tava passando mau. Todo mundo fico perguntando pra loira onde ela tava e a desculpa foi minha amiga né? Que tava passando mal (risos).

Ela só olho com aquela cara de safada pra mim e fomos ajudar nossa amiga como se nada tivesse acontecido. E pra ir embora eu e minha amiga pegamos carona com a loira e foi eu minha amiga a loira e o chifrudo dirigindo pra mim...kkkkkkk

Mamei no escritório, debaixo da mesa do chefe


?No sexo todo pensamento é concretizado, já entre pessoas que se amam é incomunicável.?
( Ana M. )

Deu-se que naquela tarde Jonas resolveu ligar-me do trabalho:
- Oi Narceja, estou precisando de você aqui.
- Aqui...? Onde? Perguntei já me insinuando.
- Aqui entre as minhas pernas, debaixo da minha mesa. Disse com uma voz de travesseiro.
- Não me excita, que sinto fome...Ameacei.
- Vou jorrar litros se você vier... Prometeu.
- Chego aí em meia hora. Disse já salivando.

Larguei o que estava fazendo e segui em direção ao seu trabalho. Um escritório de advocacia localizado no centro da cidade. De carro, tentava me concentrar no trânsito enquanto meus pensamentos voavam para Jonas... Ali sozinho naquela sala, duro, com vontade, sem mulher alguma para satisfazê-lo. Cabia apenas a mim, sua namorada, não deixá-lo passar necessidade.


Sentia fome, desejo, fascínio lascivo por aquela situação. O fato de um homem me chamar para realizar suas necessidades físicas me enchia de orgulho em ser mulher.

Parecia que era esse o meu destino e sina, satisfazê-lo. Já namorávamos há 1 ano e eu mesma tomei tal decisão: Teria o direito de masturbá-lo sempre que quisesse e não o deixaria desperdiçar, uma única vez, seu mel da vida. Tomaria sim, porque o amava.

No carro, sentia meus instintos de caçadora aguçados molharem minha calcinha. Parecia-me tomada por uma ordem acima da minha própria vontade. O via ereto em minha frente, com sua mamadeira imponente pronta para me dar leite.

Como mulher, amante, namorada achava-me na obrigação de tomar de seu corpo o que era meu de direito. Parecia-me uma honra a ser conquistada. Sentia-me superior, intacta em minha moral, o amor justificava tudo.

Usava um vestido soltinho de verão até os joelhos e uma calcinha de renda branca. Minha ?menina? iniciava um choro baixinho de desejo e vontade. Tinha muito orgulho dela, de seu tamanho e de sua profundidade. Sua aparência era bastante agradável aos meus olhos. Deixava-a sempre sem qualquer fio de cabelo, achava desta forma asseada. Gostava do montinho de carne que se formava no final do V de sua forma. Passei a mão nela enquanto dirigia e pude notar sua umidade.

- Calma menina! Vai já matar sua vontade! Disse dando-lhe um tapinha.

Meus pensamentos se voltavam para o quê os moralistas chamam de ?vulgaridade?, embora o eu aprecie por ? liberdade?. Pensamentos que me levavam a pensar palavras chulas, obscenas e necessárias naquele momento. Eu era uma putinha faminta por vara!

Ah... a vulgaridade... se assim o quiserem chamar... Uma vadia mamando debaixo da mesa. Uma vagabunda chupando rola. A certeza do não o sê-lo tornava-me livre de maiores moralidades e feminismos desnecessários.

Vi seu prédio e procurei uma vaga para estacionar enquanto verificava as lágrimas de minha ?menina? molharem minha calcinha:
- Se acalma!! Você terá já o que merece. Disse alto, para que minhas palavras fossem ouvidas por mim, livre dos olhos infelizes do Não.

Estacionei em uma vaga dentro da garagem subterrânea do prédio e desci do carro, sentindo meus fluídos melarem o vão das minhas coxas, preparando o terreno para ser feliz.

Andei rapidamente até o elevador, sendo observada por alguns homens, que de alguma forma, que não sei explicar, pareciam saber que levaria rola dentro de pouco tempo. Via em seus olhos o tesão que lhes provocava.

No elevador, apreciava meu decote no espelho. Meus seios fartos e duros, suculentos como frutas maduras, meu corpo de fêmea logo se abriria para ser curada por um macho.

A porta do elevador se abriu e vi a secretária beata de meu namorado:

- Boa tarde Dona Narceja.
- Boa tarde Vilma. E o Jonas?
- Já pediu que a senhora entrasse. Disse-me não me olhando nos olhos.

Evidente que ela sabia o que estava prestes a acontecer, o que se sucedia todas as semanas. Seu olhar de repressão excitava-me mais ainda. Sentia-me confrontante diante daquela simples mulher...Uma pobre mulher infeliz aprisionada em seu mundo de moralidades sociais broxantes e insanas.

Livre e com um sorriso no canto da boca, de desprezo por seu olhar repressivo, peguei na maçaneta da porta do escritório de meu namorado e a abri, pronta para ser mulher.

E então o vi, sentado em sua mesa, dono do meu corpo e vontade me disse:
- Feche a porta, que já está cheio! Ordenou.
Entrando em seu jogo, fechei a porta e antes de dar o primeiro passo em sua direção, ele completou: - Venha engatinhando como uma cadelinha, de quatro. Ou Não ganha leitinho quente!! Dissem em tom sério, com tesão.

Já encarnada no papel daquele dia, do grande teatro de amar carnalmente um homem, obedeci e ajoelhei-me no chão, enquanto Jonas se levantou da cadeira ficando em pé e tirando sua tora de carne da calça, balançando-a ao ar e mandando seguir adiante, tal qual uma cadelinha atrás de seu alimento.

Os 3 metros que nos separavam excitavam-me cada vez mais, à medida que sentia meus joelhos tocarem o chão e me aproximar dele. De sua arma! Todo homem possui uma entre as pernas, uma arma desejada e ameaçadora para nós mulheres, o Pênis.

Me aproximei de seu órgão carnudo e duro, e cheirei recebendo o primeiro tapinha de vara na cara: - Cheira primeiro! Ordenou.

Cheirei e fui ao delírio, abocanhei sem mais delongas. E suguei a cabecinha de seu pênis moreno e molhado. Salivava sentindo-o diluir em minha boca, desfazer-se em líquidos transparentes e abundantes. Em gosto de homem, gosto de rola, de pica, de tora, de liberdade.

E mamei em seu cogumelo vermelho e reluzente, enquanto imaginava, nesse momento, a secretária frustrada lá fora, e eu ali, de joelhos mamando o patrão dela. Como me sentia superior àquela coitada moralista. Superior por ter aquele pedaço de carne na boca, tapando e enchendo-a de carne roliça e cheirosa.

O cheiro que Jonas exalava de seu órgão quase me lavaram ao orgasmo ali mesmo. Um pênis suado de trabalho, o dia inteiro dentro da cueca, a acumulação de cheiro de macho que se formou a tarde inteira, e agora livre exalando virilidade por toda a sala.

- Vem aqui para debaixo da mesa, vem. Pediu.
Jonas, me mostrando o pau, e sentando-se em sua cadeira abriu espaço para que eu fosse para debaixo de sua mesa:
- Mama feito cadela, mama.Pediu carinhoso.

Entrei debaixo de sua mesa e fui imprensada por suas pernas abertas tendo apenas seu pau na minha frente. Vi seus testículos grandes sentarem na cadeira e os lambi à medida que engolia enquanto Jonas ligava para alguém.
- Vilma, chame o estagiário Henrique aqui que quero lhe passar algumas providências a serem tomadas.


Sua safadeza me excitou mais ainda e passei a mamá-lo com mais vontade, com mais fome, mais ?putamente? mulher, solta e livre.
- Amor, manera na mamada que quero gozar com ele aqui dentro.

Comparsa de sua fantasia, dei uma parada na mamada esfomeada e passei apenas a assoprar o buraquinho de sua cabecinha e a passar a pontinha da língua acalmando-o mais, ao mesmo tempo deixando-o excitado, sem perder o ritmo. Não haviam dúvidas, seu leite naquelas situação seria um prêmio alcançado por poucas mulheres.

O telefone tocou, e Vilma disse-lhe que o estagiário estava entrando. Ouvi a porta se abrir e me senti vadia ali debaixo da mesa. Imaginei o que pensaria o pobre capacho de advogado se me encontrasse ali, naquela situação, mamando o chefe.

- Henrique, você pegou o processo no fórum? Perguntou Jonas.
Mamei com força na cabecinha sentindo seu pau pulsar dentro de minha boca.
- Sim Doutor, aqui estão! Disse Henrique.
Mamei puxando a pelinha em torno de seu pênis e sentindo-a movimentar-se dentro de minha boca.
- Quero... que vá novamente... ao cartório da 1ª vara.. Da 1ª vara civil e pegue os processos do caso do Doutor Carlos que teremos uma reunião amanhã.

Engoli nesse momento todo o pau, quase engasgando e pedindo com a língua, me preparando pra tomar leite quase na frente de outro homem.
- Tenho que ir ao fórum amanhã, hoje não dará mais tempo. Respondeu o estagiário.

Prestes a receber a golfada de leite quente de Jonas, apressei a mamada chupando sua cabeça com força, masturbando-o com a força e delicadeza de meus lábios, queria beber leite com Henrique ainda dentro da sala.
Jonas tentava se controlar e se preparar para gozar sem dar muita bandeira:
- Então está certo. Pode ir.

Apressei a mamada e sentindo o ferro quente prestes a explodir dentro de minha boca, ouvi os passos de Henrique em direção a porta de saída e escutei na hora que ele se virou e disse:
- Bom divertimento, Doutor! Falou em tom de risada se retirando da sala.

E nesse momento, Jonas despejou litros de porra na minha boca, enchendo-a por completo enquanto Henrique fechava a porta do escritório.
Ainda terminando de gozar Jonas segurou-me pelos cabelos e gozou tudo dentro da minha boca gemendo baixinho e xingando:
- Toma vadiazinha safada, toma porra, que é o que tu merece safada! E gemeu.

Bebi tudo com muita vontade enchendo a barriga e ficando satisfeita por mim, por haver gozado também com meu dedinho nervoso molestando meu clitóris melado. Havia gozado momentos antes de Jonas, baixinho, embora com bastante intensidade.

Após a gozada, alisou meus cabelos, me levantou me colocando sentada em seu colo, o abracei com bastante forca e ternura, apertando-o forte.
- Eu te amo, pois és minha! Disse baixinho, me beijando.

Me levantei de seu colo, limpei o rosto, o beijei novamente na boca e disse-lhe que tinha que ir pois tinha um compromisso. Me despedi do meu amor, ainda com seu gosto nos lábios.

Cumprimentei a secretária Vilma e entrei no elevador, mas antes que a porta se fechasse Henrique a parou apressado e entrou comigo no elevador me cumprimentando apenas com os olhos. Olhou para meu corpo com desejos de homem e ao chegarmos na garagem, no exato momento que a porta do elevador se abria, ele enfiou a mão no bolso e tirou alguma coisa e me dirigiu a palavra: - Aceita um Halls? Perguntou.

Sorri de imediato aceitando a balinha. Coloquei na boca, agradeci e me dirigi em direção ao meu carro sentindo uma felicidade plena de ser o prêmeo de um único homem, mas de também ser desejada por outros. E ser unicamente fiel a um, ao homem que eu amei.

******************************

Todos os direitos reservados. Proibida sua reprodução total ou parcial, bem como sua cessão a terceiros, desta obra sem a autorização da autora, segundo versa a Lei nº 9.610/1998. Violar os direitos do autor constitui crime e está sujeito as penalidades de acordo o art. 184 do Código Penal Brasileiro.

http://www.orkut.com/Main#Community.aspx?cmm=54214965

Minha mulher virou puta

Somos casados a 15 anos e sempre tive como fantasia ver minha mulher transando com outro homem. Mas ela sempre relutava alegando que era difícil porque somos muito conhecidos em nossa cidade.

Foi aí que uma vez viajamos para o litoral capixaba e aproveitei para lembrá-la da minha fantasia. Ela então concordou em tentar realizar, mas como era a primeira vez seria difícil e que deveria entender a situação.

Quando chegamos lá tivemos que contratar um eletricista para resolver um problema na rede elétrica. Foi essa a oportunidade que faltava. Lembrei-a de nossa vontade e que ela deveria se preparar.

Não foi para minha surpresa ela se vestiu de uma mini saia justinha e uma pequena blusa bem decotada. Ficou um tesão tão grande que na hora que o cara chegou ele não se conteve e deu uma olhada de cima a baixo nela.

Fingi que não percebi e fui explicar o serviço, neste momento minha mulher se sentou em um lugar estratégico e ficou à vontade. Na posição que ela estava dava para nós vermos toda a sua coxa e até a calcinha branca de renda aparecia. O cara não conseguia tirar os olhos, mesmo de longe.

Foi quando o chamei para sentar na sala e de frente para ela. Não mostrei qualquer constrangimento de ter minha mulher ali, na frente dele, deixando a renda da calcinha aparecer. Até fiquei de pau duro em ver ela de perna aberta oferecendo a calcinha para o cara.

Acho que o cara ficou constrangido com a situação e não reagia em nada. Só olhava para as pernas dela e para a calcinha. Como era a primeira vez que nós estávamos nesta situação, não sabia como fazer. Porque queria que minha mulher transasse com outro homem e ao mesmo tempo queria ver.

Foi aí que resolvi dar uma chance e pedi licença para sair e tomar um banho e deu certo. Quando voltei, ela estava abaixada com a saia toda levantada, sem calcinha e chupando deliciosamente o cacete do cara. Neste momento o cara viu que tinha retornado e tentou sair, mas logo disse para ele: "Não esquenta a cabeça. Se ela gosta continua fudendo".
Não deu outra o cara se levantou pegou minha mulher e a deitou no sofá e logo foi dizendo: "Já que seu marido não dá conta, vou te mostrar o que é um macho para você nunca esquecer".

Abriu as pernas dela e encostou aquela pistola grande e bem grossa na xaninha dela. Como ela estava molhada o cara começou a forçar. Foi quando ela soltou um suspiro profundo e ele enfiou sem dó e ela soltou um grito. Mas ele começou a bombar fortemente e ficou dizendo: "Veja seu marido corno está gostando de ver sua puta metendo", "mexe bastante neste pinto de homem", e assim continuou até que ela soltou um grande orgasmo.

O cara não desistiu e foi pegando ela pela cintura e foi virando para enrabá-la. Aí eu fiquei com dó e tentei impedir, mas ela me disse: "Por favor, deixa ele me fuder, você não queria me ver transando? Agora agüenta, porque eu quero meter muito. Seu Corno.

É bom para você ver como sua mulher é uma puta, uma vadia que gosta é de muito cacete. Neste momento ele estava com o cacete todo no rabo dela despejando muita porra.

Depois que ele terminou começou a se arrumar. Foi quando minha mulher falou com nós dois. Nossa primeira experiência foi ótima, agora não quero parar. E se dirigindo para o cara pediu para ele voltar no dia seguinte para ela preparar uma surpresa. Mas isto fica para outro conto.

fudendo como uma selvagem

Sou casada, e adoro ter casos extraconjugais!Pois é desta forma que me realizo sexualmente, tendo amantes...

E foi num destes sites da vida, que encontrei um coroa de 60 anos. Conversamos, marcamos para se conhecer! Eu fui ao encontro, porem antes mesmo de se encontrar, ele me disse que adorava bater e fuder bem gostoso o cuzinho de uma mulher, eu topei, pois para mim seria mais uma aventura que, eu vivia!

Adoraria ser fudida, por aquele coroa e apanhar bastante, tinha cheiro de novo na minha vida...

Pois bem, nos encontramos, e fomos logo para um hotel, pois acho que só na cama todos os segredos são revelados.

E entrei, eu fui logo tirando a roupa, e me deixando toda para aquele homem que eu havia visto, pela primeira vez em minha vida, ele pediu depois de alguns beijos, que eu ficasse de quatro, prontamente fiquei, e assim ele lambuzou bem meu cuzinho com gel e o homem foi logo enfiando primeiramente um dedo, depois dois, e depois três dedos e logo em seguida um quarto.
E me dando tapas com muita força, na bunda. Pedindo para eu segurar as popas da bunda ficando bem arreganhada, pois ele queria sentir logo o gosto do meu cú, e me fudeu com força, vários minutos sem parar de xingar de puta, e eu me sentindo uma verdadeira puta mesmo...

E eu gritava de prazer e vibrava nas mãos daquele homem, que conheci pela internet me chamando de cadela me fazendo lamber seu cacete lambuzado pelo o cú já fudido e ardido e lindamente arrombado. Eu somente gemia de prazer de delírios descontrolados:- AIIIIIII! FODE FILHO DA PUTA, FODE ESSA CADELA NO CIO, FODE, FODE e quanto mais eu gritava mais ele me fudia!

Em seguida ele disse agora puta limpa esse cacete com sua boca, que eu quero sentir sua buceta, e assim fiz chupei tudo, deixando aquele cacete limpo, para logo em seguida ser fudida de novo. Mas primeiro ele colocou o gel em seus dedos e começou a enfiar rasgando minha buceta, percebi que não só os dedos, mas ele já enfiava a mão onde doía muito, mas deixei. Ele ir me abrindo ate sentir toda aquela mão dentro da minha buceta, que já estava totalmente aberta, ele disse:- ta gostando puta?
Eu respondi: que queria mais. Ele falou então agora você vai engolir minha porra, sua puta:- Abri a boca e chupa meu cacete! Eu prontamente abri a boca com vontade, pois minha buceta além de aberta já estava toda molhada de tanto prazer Ele pegou em meus cabelos e disse:- chupa piranha! E eu comecei a chupar, ele começou a me esbofetear e eu adorei estar ganhando aquelas pancadas, chupando aquele caralho, que logo estava deixando minha boca lotada de porra, ele disse bebe tudo piranha.
Eu sem pensar bebi toda aquela porra de uma vez só. -Agora viráquero fuder mais o seu cú, eu virei sem pestanejar e ele novamente socou o cacete dentro do meu cuzinho já todinho aberto e doendo muito e eu gostando.
Enfiou sua mão dentro da minha buceta com vontade, até mesmo com violência, não demorei muito eu estava gozando como nunca havia gozado, pois não sabia que eu tinha este dom de gostar de apanhar e ser fudida daquele jeito...
Nunca mais nos vimos, mas ficou isso em minha mente, onde nunca esqueci o gosto de uma trepada selvagem e animal como aquela, o gostinho de mais ficou em meu pensamento!

Este conto é verídico!

Aconteceu verdadeiramente, na minha vida.

Envie-me seu comentário para leniborges23@yahoo.com.br

Meu tesão de vizinho.

Eu me chamo Mariom, mudei de cidade por causa de meu trabalho, aluguei uma casa pequena, mas confortável. Em uma rua calma e boa vizinhança, aos poucos fui me familiarizando com as pessoas.

Ao lado de minha casa morava um casal de aproximadamente uns 48 a 50 anos, ela era muito gentil e querida, mas seu marido era um verdadeiro tesão, não tinham filhos e quase todos os fim de semana eles recebiam amigos para fazerem jantas e tal.

Teve um sábado em que trabalhei bastante na arrumação da casa, e no final da tarde dona Cecília me chamou no muro que dividia nossas casas e me convidou para jantar com eles, pois iam receber alguns amigos. Aceitei prontamente, pois seria bom ver aquele homem lindo mais de perto. Tinha terminado de tomar banho quando dona Cecília me chamou de novo e pediu: - Querida você tem espaço em sua geladeira para colocar algumas cervejas? Pois a minha esta cheia. Disse que sim, eu vou mandar o Fagner levar então ok? Corri para o banheiro e me enrolei na toalha de novo e o esperei, quando ele chegou e me olhou quase me comeu com os olhos. Conversamos e ele entrou e colocou as garrafas na geladeira quando ele terminou de por eu o olhei com cara de tesão ele me deu um sorriso maroto e disse: - Você é muito linda, faz tempo que tenho te observado. - É eu percebi, um dia desses eu quero te conhecer melhor é mesmo? Sim, e você vai adorar e falando isso me puxou pelo braço contra o seu peito e me beijou, um beijo muito gostoso e molhado, e ai eu deixei a toalha cair ele se afastou me olhou e caiu de boca nos meus seios, nisso eu ouvi a voz de sua mulher o chamando para atender um telefonema. ?Já vou querida?. Antes de sair passou a mão em minha bucetinha e disse eu ainda vou comer ela todinha, sorriu e saiu, eu fiquei louca de tesão e toda molhada .

A noite por volta de umas 800 horas eu cheguei e já tinha muitas pessoas, os amigos deles, me apresentaram como a melhor vizinha que já tiveram. Conversei com muitas pessoas conheci muitas delas um pouco mais, de vez em quando eu olhava e via o Fagner a me comer com os olhos, jantamos e quando a mulherada estava lavando a louça Fagner se aproximou e pediu Marion será que posso ir buscar as cervejas, claro vamos lá, quando entramos em casa ele foi logo me agarrando.

Estava de vestido curto e ele foi logo metendo a mão em minha bucetinha que estava toda molhada nesse momento, nos beijamos e eu percebi que o seu pau estava latejando dentro da bermuda meti logo a mão e o segurei, logo o punhetei para fora da bermuda e cai de boca, mas ele me interrompeu e disse temos que voltar, ainda vou te comer todinha.

Voltamos para a casa dele e a conversa rolava já era quase 1:00 da madruga e as pessoas começaram a ir embora, tinha somente mais um casal que já estavam quase saindo quando o telefone tocou era da casa dos pais da Cecília, sua mãe dizendo que seu pai estava passando muito mal, ela ficou desesperada e resolveu ir para o hospital com seus amigos, pois até tirar o carro da garagem ia demorar muito. Fagner ficou de ir mais tarde, nem acreditei que estava sozinha com ele.

Mal o carro saiu e ele me agarrou e tirou minha roupa e começou a me chupar todinha me chupou tanto que gozei umas 3 vezes. Logo ele ficou de pé em minha frente e tirou a camisa e logo a bermuda, quando eu vi aquele pau lindo grande e grosso em minha frente fiquei louca e cai de boca, pois fazia um bom tempo que não dava uma boa foda.

Segurei aquele pau com maestria e chupei muito engoli ele todinho até a raiz, lambi e toquei muita punheta também, mas logo ele me colocou de quatro em cima do sofá e me penetrou bem de vagarinho, mas logo começou a socar com vontade, quanto mais ele socava mais eu queria, ele me chamava de sua puta predileta, sua cadela de estimação mas continuava a me comer.

Em seguida ele se sentou no sofá e pediu para que me sentasse no seu pau, e eu fiz com o maior prazer. Cavalguei muito e gritava de tesão e ele não parava, nunca vi aquilo, ele era insaciável. Logo me colocou de quatro de novo deu uma cuspida no meu cuzinho e atolou tudo de uma só vez, quase desmaiei.

Mas agüentei e ele meteu muito no meu cu e eu rebolava e gritava de tesão, nesse momento tocou o telefone era o seu irmão que estava em frente a sua casa e ele mandou que ele subisse, quando a campanhinha tocou ele foi abrir e eu fiquei lá pelada a sua espera.

Quando o sue irmão o viu pelado e disse opa festinha também quero, ai eu disse fique a vontade, ele deu um gritinho e ficou logo sem roupa e já com o pau duro também.

Era grande como o do Fagner foi aquela festa um comia meu cu e outro a minha buceta. Dei tanto nessa noite que no outro dia quase não conseguia sentar, o Fagner gozou muito e logo foi tomar banho para ir ao hospital encontrar a Cecília e fui para casa com o irmão Fagner o Flavio e lá acho que dei mais umas 3 fodas antes dele ir embora.

A partir desse dia sempre tenho outros encontros com o Fagner, e com o Flavio também, as vezes com os dois ou só com um deles, mas só sei dizer que os dois são muito bom de foda e tem um pau muito gostoso que eu adoro chupar até o talo, o Fagner é o meu tesão de vizinho, estou até pensando em comprar a casa para não correr o risco de ficar sem o seu lindo pau.

Fui chupada por uma amiga, agora somos amantes.

Tudo começou quando eu e a Lú começamos a estudar junta e nos tornamos amigas desde o começo. Ela é muito linda, sensual e provocante. Também sou assim não é por que sou casada que deixava de me cuidar, sempre escuto cantadas por onde passo.

Quando começamos a andar juntas aprontávamos todas, curtíamos de tudo. Foi assim durante 3anos, em uma dessas noite de farra em um churrasco em sua casa, bebi todas e a festa foi tanta que teve gente que dormia espalhado pela casa, e por causa disso o meu marido foi embora me deixando na festa.

Estava chapada e nem ligue, decidir dormir lá. Fui tomar banho, quando está lá em baixo do chuveiro sentir alguém me olhar quando virei era a Lú, fiquei sem jeito e ela parada me olhando com a cara de desejo e veio com tudo pra cima de mim. Fique assustada mais deixei me levar por aquele desejo que sentia por ela, mais tinha medo pois, sou casada.

Ela veio e me beijou na boca e aquela água do chuveiro caindo sobre nos, ela ainda de roupa toda molhada, ela sussurrando no meu ouvido que ela sempre me queria e que sempre me desejou acariciando a minha buceta com dois dedos, lambendo os bico do meu seio que estavam duros de tanto tesão, e com a língua ela percorria o meu corpo.

Lambia o bico dos meus seios, mordia aí que delicia! Comecei a tirar a roupa dela e retribui as carícia como uma boa aluna, ela me colocou sentada em cima da tampa do vaso abriu as minhas pernas e começou a chupar a minha buceta, enfiava a língua lambia em movimento bem de vagar, e me enlouquecia de tesão.

Contorcia-me de um lado e do outro, segurava o cabelo dela rebolando em sua boca e ela me olhava com desejo e parecia que ia me devorar, ela não parava ia bem devagar chupava o meu grelo e o lambia. Nossa era uma loucura, quando ela me dizia que queria que gozasse em sua língua rebolei e rebolei e não deu outra gozei.

Dei um gemido bem alto e a Lú lambia com muito gosto a minha buceta, ela sentia a minha buceta pulsar. Não queria para por ali fui pra sua cama e começamos a nos chupar, nunca tinha chupado uma mulher antes, a sua buceta era linda pequenininha.

Fizemos 69 depois e depois sentamos de frente uma pra outra e começamos a rolar a nossa buceta uma na outra. Sentia o se grelinho ralando na portinha da minha buceta, que delicia e sentir a me apertar mais e mais pra sua buceta.

Ela gemeu bem gostos e não deu outra gozamos juntas, pude sentir a nossa bucetina toda melada uma na outra. Fiquei fraca mais de satisfação e naquele momento nem lembrei do meu marido.

E partir daquele dia ficamos sempre que podemos a minha amiga virou a minha amante e que amante. Detalhe, quando estava escrevendo o meu conto ela chupava a minha buceta da mesma maneira que ela sempre faz bem devagar!!!! E me olhando com a cara de safada agora fui, pois tenho que aproveitar o nosso momento ....

Enrrabei a puta no cinema pornô

Oi! Meu nome é Vagner tenho 33 anos e o que vou contar aconteceu neste ano. Estava passeando no centro de Fortaleza e resolvei ir para um cinema pornô.

Neste estabelecimento havia algumas (profissionais do sexo) fiquei alguns minutos assistindo o filme e uma chegou perto de mim pegando logo no meu pau, que já estava excitado fui logo pegando nos seios, ela foi abrindo o ziper da minha calça colocou meu pau para fora e foi chupando como uma louca.

Ela dizia que o pau era gostoso a cada chupada ela tinha mais vontade, fomos para um quarto e tirei a sua roupa amaciando seus seios por trás. A deitei na cama e comecei a comer a sua bucetinha enfiando bem devagar.

Ela cada vez mais ficava com mais tesão, fiquei muito tempo naquele vai e vem. Ela gemia pedia para eu enfiar mais, me chamava de gostoso. Quando ela pediu para que comece o seu cuzinho, ai disse: ?Seu pedido é uma ordem?.

Nunca vou me esquecer daquele cu que era a sua primeira vez que ela iria ser deflorada analmente, no começo ela estava meio receosa, mais fui colocando com bastante carinho em seu cuzinho.

Cada vez mais ele dilatava, ate que entrou com todo gás e metendo, metendo e ela pedindo mais, e que eu fizesse dela minha cachorrinha e dizendo fode... fode...fode... meu cu seu cachorrão isso vai fode... fode... fode... e com mais de horas gozei na cara dela e ela bebeu toda porra.

Espero que gostem.
Quem quiser mandar um E-MAIL (vagner26pereira@yahoo.com.br)

Em busca pelo orgasmo

Chego um pouco cansada, documentos, audiências, atendimento a clientes. Ser advogada é uma profissão que eu adoro. Sempre me dediquei a seguir carreira no mundo jurídico e com o sonho de alcançar cargos de alto escalão, mas sentia que parte do meu sonho estava incompleta. Às vezes, achava que eu era diferente e que, por isso, nunca contava sobre meus desejos.

Desde pequena, percebi que despertava atenção das pessoas. Na universidade, já não suportava mais aqueles meninos dizendo que eu era muito bonita. Eu retribuía com um sorriso bem amarelo. De fato, os homens que eu conhecia faziam de tudo para chamar minha atenção. Manobras radicais de carro e moto, roupas da moda, corpos bem definidos. Eu sempre gostei dessas coisas, mas o homem dos meus pensamentos não estava em ninguém que havia conhecido.

Tive alguns namorados, mas nunca cheguei ao orgasmo com nenhum deles.
Na verdade, nunca contei o que precisava para um gozo profundo, porque eu tinha vergonha. Pensava comigo mesma que os homens gostam de sair contando suas aventuras sexuais. E que no final de tudo, acabaria me trocando por outra, por me considerar ruim de cama.

Procurei um homem emotivo, para quem eu pudesse revelar meus mais íntimos segredos. Apareceu o Túnio. Gostava do jeito irreverente dele. Muito audacioso e afetivo. O Túnio era muito cobiçado pelas minhas amigas. Mas meu namorado não conseguia me fazer gozar como nos meus sonhos. Eu tinha receio de contar minhas fantasias. Estava confusa. Será que nunca eu poderia ter um gozo!

Queria um homem que entendesse o meu lado, um homem que pudesse me levar ao orgasmo. Estava decidida! Fui à procura em portal na internet. Identifiquei com um Nickname SADES. Procurei saber tudo sobre esse homem que parecia não ter o menor constrangimento em se assumir um sádico.

Mandei uma mensagem dizendo que queria conhecê-lo e passamos a teclar em salas de bate papo. Em poucos dias, já tínhamos muita intimidade. Sades transmitia tanta confiança que eu me sentia segura para me abrir sobre assuntos pessoais, de tal forma que Sades já me tratava como se fosse propriedade dele. Pelas nossas conversas, percebi que Sades era sério e dominador.

Marcamos um encontro no meu apartamento. Tocou a campainha, meu coraçãozinho estava a mil. Nunca tinha transado com um sádico, não sabia como era ser dominada.
Abro a porta. Sades era jovem, não tinha corpo atlético, nem usava roupas da moda.
Encarei-o, tentando não demonstrar o nervosismo.
Ele fica observando o apartamento.
- Muito bonito. Bem moderno.
- Pois é. Gosto do bom e do melhor. Respondi meio sem jeito.
- Ele fez um olhar de indiferença e reprovador. Aquele olhar sério e gelado me deixou muito confusa.
Para cortar o clima, ofereço um pouco de bebida.
- Já está pronta Tatiane?
- Pra que? Fiz que não tava entendendo.
- Para ser dominada por mim, afinal é por isso que vim. Para dominar você do meu jeito.

A maneira como ele falava era a mesma dos nossos papos pela net, mas na realidade, a voz de Sades penetrava até na alma.
Pediu, quase mandando, mais um pouco de bebida.
- Você está tensa, Tatiane.
Engoli a seco e respondi, em tom de desafio.
- Não. Não estou. Apenas queria ficar só. Você poderia vir outro dia. Já ia ligar pra dizer, mas não deu tempo.
- Certo. Mas diga por que você quer assim.
- Não sei... Por favor... Depois a gente se fala...
Olhando profundamente:
Você quer isso, Tatiane?
Sim.
Quer dizer... não sei... Vá embora...Por favor...
Sem dizer uma palavra, Sades retirou-se com espontaneidade, como se não houvesse nada.
O que eu fiz!!!Deixei ir embora o homem capaz de me realizar.
Sades ainda aguardava o elevador. Atirei-me aos pés dele.
- Senhor...!

Ele me olhou com a mesma frieza.
- Por favor... Senhor... Eu nunca fiz isso antes... Eu sou queria saber se posso confiar...
- Sades me pegou nos braços. Fiquei como se estivesse anestesiada.
Logo, eu já estava toda amarrada nos quatro cantos da cama. Não podia me mexer pra nada. A sensação de estar presa já me dava uma excitação que eu nunca tinha sentido. Eu estava completamente sob o domínio DELE.
- Tatiane, quero que você tente se livrar.
- Ufa!!! Fiz toda a força. Não consigo. Você me amarrou mesmo.
Senti uma tapa no rosto. Nunca levei uma antes. Como ardia!
- Você?! Vagabunda, agora sou seu Dono.
- Sim senhor, respondi. O tesão subiu mais ainda. A minha vagininha já tava toda molhada.
ELE vedou meus olhos. O líquido escorria mais na minha vagina.
- Agora você está excitada, vadia.
Soltei um cálido gemido.
- Tem café na cozinha, fêmea?
- Tem sim, senhor. Mas o senhor não vai me deixar aqui assim. Não é?
Só ouço o barulho da porta batendo e da fechadura. Parece que ele apagou a luz, pois, mesmo vedada, notei que ficou tudo escuro. Estava me sentido como se estivesse em um cativeiro. E o pior. Estava gostando daquilo tudo.

De repente, senti um objeto metálico cortando minha roupa.
- O que está fazendo, meu senhor?
Não tive resposta. Pela primeira vez, estava sentindo medo de verdade. Pensei em gritar, mas acho que só iria piorar as coisas. ELE estava no controle da situação.
Sinto algo queimando dentro de mim. Apesar da dor, eu estava ficando cada vez mais excitada.

- Que é isso, meu amor?
Senti um líquido gelado escorrendo na minha vagina. Era gelo.
-Meu dono empurrou um objeto lubrificado no meu anus. Depois colocou os dedos na minha vagina e ficou fazendo movimentos circulares, enquanto beliscavas os lábios vaginais. Com a outra mão ele puxava uma cordinha que tinha amarrado nos bicos dos seios. A dor era terrível. Chorei tanto que as lágrimas tiraram à maquiagem.

Nem sei qual era pior. A dor física ou a situação humilhante. A verdade é que a essa altura não me importava mais para orgulho ou qualquer coisa desse mundo. Eu estava em outro mundo. As pernas endureceram. Meus gritos eram de dor misturada com intenso prazer. Quando já tava gozando. Parou tudo.
- Não pára meu amor. Por favor. Quero gozar.
- Por favor, por favor, por favor...
Meu dono amordaçou a minha boca e começou a me penetrar.
- Pode berrar a vontade, cadela. Ninguém vai te ouvir.
Foi o que eu fiz, comecei a berrar. Mas não saia som. Somente gemidos.
- Me fode toda gostoso!!!!!!! Mas só saiu um grunhido abafado e
Gozamos.Obrigada Sades, meu Dono.

Comendo a socia da minha mulher

Sou loiro, 1,75 de altura, 28 anos e sou arquiteto. Minha esposa, uma loira com 1.65 de altura 26 anos advogada. Somos casados e muito bem casados há quatro anos, ela tem um escritório no centro comercial de uma cidade, tem como sócia, uma mulher maravilhosa, mais ou menos uns 1.70 de altura cabelos pretos ate a bunda, uma bunda de muitos anos de academia, tem por volta de uns 32 anos, coisa linda de ser ver.

Um dia marcamos de ir á praia nos três, para minha surpresa ela usava um biquíni que só tampava a bucetinha depiladinha (sabia que ela falava para minha esposa na minha frente) que visão maravilhosa, ela deitada na areia com aquela bunda espetacular, como não sou de ferro, não conseguia parar de olhar e minha mulher percebeu e me perguntou se eu tinha gostado, fiz um sinal de positivo com a cabeça.

Mais chega de história, um dia uma sexta feira, fui ao centro para resolver umas papeladas e resolvi passar sem avisar no escritório de minha esposa, para minha surpresa, que veio abrir a porta? É pessoal ela mesmo com estes vestidos com tecido mole que modela todo o corpo da mulher, dava para ver a marca da mini calcinha que ela usava, perguntei por minha esposa, ela respondeu que ela havia saído para resolver uns processos e depois iria embora e falou rindo que estávamos sós. Isso me deixou com muito tesão, então ela falou que iria fechar o escritório em uma hora e me perguntou se eu podia esperar e me prontifique a esperar.

Foi quando ela abaixou para pegar umas pastas no armário e colocou a bunda na minha direção, fiquei admirando, ela percebeu e começou a rebolar bem devagar, neste momento meu pau já estava latejando dentro da calça. Ela ficou de pé e me pediu para levantar e pega outra no alto, não fiz questão nenhuma de ajeitar o pau e levantei, ficou visível que estava duríssimo, ela não agüentou e olhou direto para ele.

Quanto ela me perguntou o que era aquilo, eu respondi sem excitar que era tesão por ela e em sua linda budinha, na mesma hora, ela responde que tem muito tesão por mim, pois minha mulher conta tudo para ela, a deixando toda molhadinha e imaginando.

Respondi que não precisa mais imaginar que estava ali para satisfazer suas fantasias.
Ela na mesma ora fica de joelho na minha frente e desabotôo a minha calça, colocando o mastro de 18 cm para fora, ela então começa um boquetar maravilhosamente, desde as bolas ate a cabeça, ficou por uns vinte minutos.

Em seguida a coloquei sentada na ponta da mesa puxei sua calcinha para o lado e comecei a chupar sua depilada bucetinha, ela gozou em poucos minutos, pedi para debruçar sobre a mesa apontei meu pau na sua buceta que tava encharcada e com uma só coloquei tudo.

Ela deu uma gemida gostosa, ficamos por uns dez minutos assim, quando ela falou para fuder o rabo dela igual fazia com a minha mulher. Tirei o pau da bucheta, dei uma chupada no cuzinho dela, o deixando todo molhado, coloquei na portinha, ela começa e rebolar para entrar ao poucos, qusndo percebi tava todo dentro, começamos em um ritmo frenético, não demorou para ela gozar e eu também, enchi seu rabinho de porra, ela foi ao banheiro se lavar e fomos embora.
Depois nos falamos e ela queria fala com minha mulher que queria fazer a três conosco... mais o que aconteceu vou contar depois..
Abraços aos leitores

Meu amigo de infancia

Eu minha esposa moramos em Camboriu (SC); somos um casal normal .Não temos filhos,minha esposa é linda uma loirinha de olhos verdes corpo de boneca e uma bunda enorme seios médios com 1,65m e pesa 50kg;sempre transamos muito, somos liberais pois já fomos algumas vezes na praia de nudismo,e notava que Carla sempre ficava excitada quando assistíamos vídeos pornôs.

Notava que ela gostava de filmes inter-raciais com negros bem dotados , então um dia para deixar ela mais excitada contei uma historias de infância. Sobre Tonho, contei que muitas vezes nós nos masturbávamos no banheiro do colégio.

Tonho era respeitado, pois tinha um membro do tamanho de um adulto com apenas doze anos, muitas historias de que Tonho comeu a nossa professora primaria e ate mãe de alguns amigos nossos.

Notei que Carla ficava louca de tesão, certo dia pela manha fomos a praia e passamos numa loja de biquínis. Como sempre gostei de ver minha mulher ser olhada por homes na praia pedi para Carla comprar um fio dental branco; ela não aceitou, pois era muito pequeno e quando molhasse ia aparecer sua bucetina.

Estávamos na praia quando de repente vinha em nossa direção um homem negro alto com 1,90m de altura para minha surpresa era Tonho; apresentei ele para a minha esposa ; o desgraçado não tirava o olho da minha mulher , ate ai tudo bem.

Conversando com Tonho descobri que ele ficaria apenas três dias na cidade. Foi quando cai na besteira de o convidar para ficar no nosso apartamento. Ele aceitou de imediato, na primeira noite jantamos batíamos um papo e fomos dormi. Tonho dormiu na sala, pois nosso apartamento só tem um quarto. Naquela noite notei que Carla estava louca na cama, uma verdadeira puta.

Dai que caiu a minha ficha, ela lembrou das historias do Tonho. No outro dia convidamos Tonho para ir à praia com a gente. Carla me disse que ia a uma loja de biquínis, passamos na loja e ela comprou exatamente aquele fio dental branco. Não deu outra, ele não tirava os olhos do rabo e da buceta dela.

Certo momento notei que ela olhava para a rola dele, que mesmo mole era maior que a minha. Fomos pra casa e enquanto meu amigo tomava banho. Nós dois discutíamos pelo o que tinha acontecido na praia. Fui tomar banho no nosso quarto e comecei a imaginar a cena, de ver minha mulher sentada naquela bengala.

Sair do banheiro e ela estava no quarto nua pronta para tomar banho, ela viu que estava de pau duro meus 16cm; ela disse esta excitado e foi quando confessei o que estava acontecendo.

Pra minha surpresa, ela me pede para que eu a deixe transar com Tonho, pois era sua fantasia. Disse a ela ?você não tem ideia do tamanho da vara do Tonho, não são aquilo que você viu na praia?. Ela disse: Eu sei! Enquanto você tomava banho, fui espiar Tonho por isso que estou doida de tesão?.

Depois do jantar disse para o meu amigo que tinha que dar uma volta. Mais não sair, fiquei no corredor do prédio. Minha esposa muito safada vestiu uma calça curtíssimo de lycra que aparecia tudo, a sua bunda e sua tanguinha migro não deu outra. Tonho logo atacaou e foram para o quarto; quando entrei no apartamento só escutava o baralho da chupeta que Carla fazia em nele.

Entrei no quarto e levei um susto do tamanho da bengala. Tinha aumentado muito dede os tempo de escola tinha uns 29cm e muito grosso . Tonho me disse: só fica olhando. Sentei no sofá e curti ele comer a bunda o cu e gozar na cara dela.

No outro dia ele foi embora e ate os dias de hoje não tivemos mais noticias; minha Carla esta cada vez mais linda só que pintou os cabelos e esta morena quem quiser conferir no orkut .... ribeiroc37@yahoo.com.br

O jardineiro

Minha mulher e muito linda e gostosa, morena estilo corpo pequeno e bunda grande. Ela tem 30 anos e eu 36, somos um casal normal, transamos três vezes por semana tudo tranqüilo, ate um dia que aluguei um desses filmes pornôs com o marido olhando a mulher sendo devorada por um ator bem dotado.

Notei que ela ficou muita excitada com a sensação que fossemos - nos. Há muito tempo já fantasiava essa situação achei que era momento de colocar meu plano em ação. Temos em casa uma empregada que chama Vilma e de vez em quando dou um trato nela, sem minha mulher saber. Ela sempre comenta comigo do seu marido o Tião que sempre corta a grama e faz o jardim lá de casa. Ela diz que já pensou varias vezes em se separar, pois Tião tem um pau muito grande e ela e uma mulher pequena e realmente a bucetinha dela e pequena e já a machucou varias vezes.

Contei para minha mulher que certa vez apos um jogo de bola, estávamos tomando banho no vestiário e Tião estava comigo, disse a ela que fiquei ate com vergonha do meu pau que mede uns 19cm; mais o do Tião era muito mais grosso e devia medir uns 28cm;notei que ela ficou excitada com essa historia.

Bom agora tinha que botar o meu plano em ação, no mesmo dia comprei um biquíni no para minha esposa um desses fio dental, só com uma cordinha. Ela me disse que não ia usar por ser muito pequeno, disse esse você vai usar só em casa na piscina.

Esperei o primeiro dia de sol; pedi para Vilma que tira-se o dia folga porque precisaria que Tião viesse trabalhar; logo pela manha convidei minha esposa para irmos para piscina. Ela colocou o fio dental e ficou com aquela bunda maravilhosa para cima.

Inventei que alguém ligou para mim para poder sair de casa e deixar somente os dois; me escondi em cima do forro da onde eu podia espiar quase toda a casa. Tião não demorou para se aproximar da minha esposa; ele não conseguia tirar os olhos da bunda dela; quando ela notou que ele a observava para minha surpresa ela começou a se exibir para Tião; levantando e indo ate ele.

Tião não tirava os olhos dela mesmo de longe notava o clima esquentando, eu sabendo que ela não teria coragem de partir para o ataque. Tinha planejado tudo como nao voltaria ela resolveu entrar para tomar banho. Como sou esperto fechei o registro de água que fica no alto onde não poderia abrir e teria que chamar Tião para ajudara

Não deu outra, em pouco ela gritou Tião. Tião foi ate o banheiro para ver o que estava acontecendo; enquanto isso desci do forro e liguei meu televisor que tenho no quarto e coloquei um DVD pornô; sem volume. Enquanto isso minha esposa me confesso que estava quase agarrando Tião dentro banheiro e que o Tião não tirava olho de cima dela e ela não tirava o olho de cima do enorme volume de sua bermuda; corri para o corredor ;agora tinha que dar certo;quando eles entraram no quarto aquela surpresa no filme tinha colocado.

Era um negão enrabando uma mulher;os dois ficaram parados por uns 10segundos, agora vai minha esposa vendo a bermuda de Tião quase estourando, não deu outra caiu de boca naquele mastro enorme depois de vários minutos chupando aquela tora ela se chogou na e parede e pediu para ser fudidas por todos os lados.

Enquanto ele arrombava minha esposa, gozava sem me masturbar, não agüentei e tive que me mostrar; minha esposa levou um susto; mais logo expliquei tudo e eles continuaram a fuder ate minha esposa não agüentar mais.

Os dois foram tomar banho e eu fui transar na quela buceta e seu rabo estavam dilatados mais adorei a sensação. Agora pelo menos uma vez por semana fazemos troca de casais com eles. Ainda escuto os gritos de minha esposa no outro quarto. Sei que de vez enquanto ela se encontra com ele as escondidas, pois ela não sabe, mais coloquei uma câmera no nosso quarto.

FINAL DE SEMANA DE PRAZER

BEM MEU NOME E SANDRA E COMO JÁ CONTEI NO CONTO PASSADO DEI UMA DE BEBADA E ACABEI COM O CÚ ESTOURADO POR MEU SOBRINHO QUE MORA COMIGO. DEPOIS DESSE DIA ELE ME COME SEMPRE QUE QUER E AINDA ME OFERECE PROS AMIGOS.

TODA VES QUE ESTAR CHEGANDO O FINAL DE SEMANA JÁ SEI VOU FICAR A SEMANA SEM SENTAR, MAS ESSE FINAL DE SEMANA NÃO IA SER DIFERENTE FUI A PRAIA LOGO SEDO PEGAR AQUELA MARQUINHA. TOMEI ALGUMAS E FUI PRA CASA QUANDO CHEGUEI MEU SOBRINHO ESTAVA COM UMA GAROTA NO QUARTO E FUI LÁ BRECHAR, ELA ESTAVA DE QUATRO E ELE ATOLANDO SEU MONSTRO DENTRO DO RABO DELA, ELA NÃO PARAVA DE GEMER E PEDIR PRA ELE TIRAR PORQUE ELA NÃO AGUENTAVA ERA DEMAIS.

ELE PUTO DE RAIVA TIROU E MANDOU-A FAZER UM BOQUETE ATÉ ELE GOZAR, ELA FEZ E ELE GOZOU. DEPOIS ELE A MANDOU IR EMBORA, POIS NÃO TINHA FICADO SATISFEITO PORQUE O QUE ELE GOSTA MESMO É DE FUDE UM CÚ.

A TARDE TOMAMOS, MAS ALGUMAS E MEU SOBRINHO DISSE QUE TINHA UM PRESENTE PRA MIM. FIQUEI FELIZ AI MANDOU QUE TIRASE A ROUPA AI DISSE ISSO NÃO E PRESENTE VOÇÊ ME DA ISSO DIRETO ELE DISSE NÃO ISSO NUNCA TE DEI.

TIROU PEGOU UM PLUG E DISSE ESSE E O SEU PRESENTE VAI FICAR COM ESSE PLUG ATÉ QUANDO EU QUISER QUERO TE DEIXAR ARREGAÇADA PRA QUANDO FOR FUDER SEU CÚ E DE UMA VES COLOCOU O PLUG NO MEU CÚ.

FIQUEI COM AQUILO POR HORAS, CHEGOU MAS UM AMIGO DELE QUE TAMBÉM JÁ ME FUDEU. ELE FEZ QUESTÃO DE MOSTRA O PLUG NO MEU CÚ O AMIGO FICOU LOUCO E DISSE EU TAMBÉM VOU ENFIAR NESSE CÚ.

MEU SOBRINHO DISSE AGORA NÃO, VAMOS FUDER A BUCETA DELA E MANDARAM VER NA MINHA BUCETA GOZEI COMO LOUCA. MEU SOBRINHO TIROU O PLUG E DISSE AGORA ELA JÁ ESTAR PREPARADA PRA LEVAR GEBA E SEM DOR ENFIOU TUDO DE UMA SÓ VEZ. NÃO SENTIR MUITA DOR, POIS JÁ ESTAVA TODA ABERTA.

ELE METIA FEITO LOUCO TIRAVA E COLOCAVA TUDO DE UMA VEZ, AI CHAMOU SEU AMIGO PRA ENFIAR TAMBÉM. OS DOIS METERAM FUNDO NO MEU RABO. FUI A LOUCURA GRITAVA DE TANTO TESÃO, MEU SOBRINHO DIZIA. ?TOMA SUA PUTA! GOSTA DE SER ARROMBADA? ENTÃO TOMA?.

O AMIGO DELE SAIU E GOZOU NA MINHA BOCA E ELE METEU MAIS UM POUCO E GOZOU LÁ NO FUNDO DO MEU CÚ .
AGORA TODA VEZ QUE ELE QUER ME COMER PASSO O DIA COM O PLUG NO CÚ.

Uma foda e tanto, olhando o Cristo Redentor

Aconteceu na Varanda do nosso apartamento no Leblon, com vista para a Lagoa e o Cristo Redentor.

Foi no dia 03 de agosto e meu namorado ia viajar. Chegou em casa para tomar café da manhã comigo e se despedir às 5:00 horas. O dia ainda não havia amanhecido e o esperei com lingerie vermelha e um salto 15, na varanda.

Assim que ele me viu já ficou todo excitado. Logo me pegou de um jeito que adoro, que me deixa maluca....Senti logo seu pau ficar ereto, louca para enfiar ele todo na boca e chupar muito....e foi o que fiz assim que consegui me livrar das suas roupas.

Ajoelhei em frente a ele, puxei seus testículos com delicadeza pra baixo e chupei até sentir que ele não aguentava mais....

E então foi a vez dele me despir...tudo na varanda....e então colocar aquela boca tão quente na minha buceta....gozei ali mesmo....

Ainda de salto, mas já sem roupa, ele me encostou na parede e fez aquilo que me deixa maluca: comeu meu cu com todo aquele caralho ereto e delicioso entrando e saindo com uma urgência violenta e cheio de desejo....como eu GOZO quando come meu cu e com a mão estimula meu clitóris.....eu me sinto molhada em 1 segundo....sempre foi fácil gozar mais de 3 vezes em uma mesma transa com ele.

Debrucei-me na varanda e, com o dia raiando e de frente para a vista da Cidade Maravilhosa, deixei que ele continuasse o movimento gostoso de comer meu cu...quando não estávamos resistindo mais, ajoelhei de quatro e então enfiei o seu caralho inteiro - e que tamanho de pau ele tem - na minha buceta e então o orgasmo nem precisa dizer né? FOI MARAVILHOSO....Aliás como todos com ele.

O meu Namorado, Marido, Amante, é o Melhor Homem do Mundo.....além de tudo de bom, ainda me come sem restrições e de um jeito que me deixa maluca.....tenho vontade de transar com ele em qualquer lugar.....já fizemos muitas loucuras juntos..

E o que mais quero agora é poder fazer outra.....

até a próxima...

Virando corno

Somos casados há 15 anos e de certo tempo, vinha imaginando que minha esposa pudesse transar com outro homem, não sei por que mais essa coisa ficava me martelando as idéias. Um dia abri o jogo pra ela, o que vinha sentindo e que isso poderia melhorar nosso sexo e tal,mas ela não aceitou,disse que isso era impensável, que nunca havia passado pela sua cabeça. Ela me disse que o único homem que ela tinha vontade de fazer amor era comigo.

Um dia lhe perguntei se por acaso acontecesse dela ver um homem nu e com a rola dura o que ela faria. Ela me respondeu que nem passava pela sua cabeça isso e que não me responderia.

O tempo foi passando e eu continuava com aquela vontade de ser corno. Comecei a trazer para casa DVDs onde a mulher era fodida por dois ou mais homens, então notei que ela ficava excitada,mas não disse nada para não assustá-la.

As coisas foram acontecendo de modo que se encaminharam para ocorrer à iniciação dela. Digo isto por que na empresa onde trabalho um amigo meu se separou da esposa. Eles se desentendiam por qualquer coisa, até que em menos de um ano se separaram.

Este meu amigo foi morar em um apartamento e como ele não tinha costume, seu apartamento virou uma bagunça e eu fiquei com pena dele.

Pedi a minha esposa para ir lá dar uma arrumada para ele, só que ela foi num dia em que ele não estava. A partir deste dia ele passou a freqüentar nossa casa, mas com respeito e também não imaginava que seria com ele a realização de meu chifre.

Um dia marcamos de irmos ao seu apartamento, depois do serviço para dar uma arrumada lá e tomar umas cervejas e se desse tempo ver um filme ou algo assim.

Esse amigo já estava separado há quase seis meses e havia me dito que estava numa secura danada, que ele não queria arrumar mulher de programa e sim arrumar uma namorada. Bom chegando a casa dele com minha esposa, que não estava usando nenhuma roupa provocante, vestia uma calça jeans e uma blusa de decote em v, tudo normal, por volta das sete da noite colocamos mão a obra.

Ela deu uma ajeitada nas coisas, umas limpezas daqui e dalí, ao mesmo tempo que lavava sua roupa. Pelas nove e meia da noite ela já havia terminado, só faltando colocar as roupas para secar no varal da sacado do apartamento.

Enquanto ela fez isso, nos abrimos a cervejas e começamos a tomar e ela assim que terminou veio se juntar a nós. Ai ele perguntou se ela podia fazer um tira gosto para nós, que assim que ela nos terminasse iríamos assistir um DVD (não preocupávamos com o horário, pois era sexta e sábado nos não trabalhamos), então ela fritou um frango a passarinho para nós e voltou para a sala.

Quando começamos a comer o tira gosto resolvemos ver o filme, tivemos que sentar os três no único sofá, de modo que ela ficou entre eu e meu amigo.

Ele pegou o DVD e colocou no aparelho e assim que o filme entrou (foi comprado no camelô então não tinha aquele negocio de introdução, cenas e tudo o mais.) era um filme pirata onde de cara já mostrava um casal no maior amasso, mas sem mostrar nada.

Achamos que seria um filme normal de aventuras, só que as cenas estavam ficando um pouco mais quentes, mas sem ser pornográficas. O nosso amigo ficou excitado (havia muito tempo que não transava) como éramos adultos deixamos o filme rolar. Então teve uma cena em que o cara tira blusa da mulher e começa a sugar seus seios, aquela cena esquentou o ambiente, pois eu fiquei de pau duro e vi que minha mulher estava inquieta na cadeira. Daí a pouco o cara acaba de despir a mulher e começa a chupar sua boceta.

Quando percebi já estava começando a alisar a perna da minha esposa e o filme seguia, então a puxei para perto de mim e beijei sua boca segurando nos seus peitos. Ela dizia baixinho ?amor olha o Arnaldo aqui, nós estamos na casa dele é falta de respeito". E ele respondeu que não ?se vocês não se importarem de eu estar aqui por mim tudo bem" ao que respondi"ta vendo amor ele não se importa de namorarmos um pouco aqui, né Arnaldo?",e já não dei tempo prá ela pensar.

Já num tesão danado e imaginando que naquela hora poderia realizar minha fantasia de vê-la trepando com outro, então levantei sua blusa e desabotoei seu sutiã,deixando-a nua da cintura para cima. Arnaldo quando viu seu peito não se conteve e pegou em um deles e falei assim ?meu amor não tá gostoso ele pegar no seu peito? O Arnaldo pode chupá-lo? neste momento ela se entregou de vez. Virou-se para ele e pegou no seu pau por cima da bermuda, ele então puxou sua cabeça e deu um beijo em sua boca, ela então enfiou a mão dentro da bermuda dele e começou a punhetar o cacete dele e eu abri a calça dela e fiz ela ficar só de calcinha.

Arnaldo ao vê-la só de calcinha abriu as pernas dela e começou a alisar sua bocetinha por cima da calcinha que a esta altura estava totalmente molhada. Ele afastou a calcinha para o lado e introduziu um dedo na sua grutinha úmida fazendo com que ela gemesse e pedisse para ser fodida por ele.

Neste momento fiquei ao lado e vi quando ele trocou o dedo pela língua, nossa para quê, acho que ela gozou na língua dele pela primeira vez. Então ele retirou sua calcinha e quando ele ia tirar a bermuda ela disse ?não pode deixar que eu mesmo te dispo",quando abaixou a bermuda e a cueca dele,apareceu um pênis enorme que deveria ser uns cinco ou seis centímetros mais comprido que o meu e bem mais grosso.

Quando ela viu no mesmo instante começou a chupá-lo como se fosse a primeira vez que ela fazia isso. Chupava e gemia com muita vontade, neste momento ele colocou ela de quatro no sofá e penetrou-a com força, arrancando dela um grito de tesão que acho que o prédio todo ouviu e começou a bombar numa velocidade incrível e ela dizia"vai Arnaldo me fode gostoso prá esse corninho ver",quando ela falou isso passei para a frente dela e dei meu cacete para que ela chupasse.

Ela gemia abafada pela minha pica em sua boca enquanto Arnaldo a fodia como uma cadela, após alguns minutos, pedi pra fodê-la também. Ele mudou de lugar comigo e enfiei meu cacete em sua rachinha que estava mais larga,pois o pau do Arnaldo era bem mais grosso que o meu.

Bombei alguns minutos e enchi a boceta dela de porra aos berros devido ao tesão que senti, quando saí de dentro dela Arnaldo veio para meu lugar. Enfiou seu pau na buceta dela novamente e enquanto ele bombava dei meu cacete para ela limpar. Coisa que fez com maestria.

Arnaldo após alguns minutos fustigando a buceta dela, também gozou misturando nossas porras dentro dela. Só que o ele estava tão atrasado (mais de seis meses sem sexo) que mandou que ela chupasse o pau dele até que ele endurecesse de novo, coisa que não levou muito tempo e colocou-a novamente de quatro no sofá enfiou seu pau na buceta dela o lambuzando todo com nosso liquido e cuspindo no cuzinho dela.

Ele anunciou que a foderia ali, minha esposa disse a ele que era para ir com calma, pois, eu havia comido seu cuzinho poucas vezes e que o pau dele era bem mais grosso que o meu.

Então ele começou a meter nele devagar para que seu cuzinho acostumasse com o diâmetro da rola dele, uns dez minutos ele ficou se movimentando bem devagar e aos pouquinhos foi aumentando a velocidade das estocadas, até que alguns minutos depois a fodia alucinadamente.

Ela a principio reclamou de dor, mas depois estava sentindo prazer pois, gemia e dizia obscenidades a rodo como"fode meu rabo,ensina para esse corno como se fode uma vagabunda" e por ai vai.

Arnaldo aumentou ainda mais o ritmo e aos berros de "toma sua vaca, vou encher seu cú de leite, safada vagabunda" e gozou alucinadamente e minha esposa gozou junto com ele. Quando ele saiu de dentro dela eu imediatamente enfiei meu pau no rabo dela e com umas cinco bombadas gozei novamente nela.

Ao fim desta foda deliciosa estávamos exaustos, descansamos um pouco e ficamos conversando e combinamos de a partir de aquele dia sempre faríamos sexo a três. Às vezes passamos o fim de semana juntos.

Arnaldo comprou uma cama de casal king size e dormimos os três nela, quando vamos lá. Agora estamos pensando em arrumar um terceiro macho para ajudar-nos a satisfazê-la, pois a cada dia que passa ela fica mais tarada, mas tem que ser um cara bem dotado e discreto, já estou com um em vista se der certo eu conto para vocês ok?

Carta de fogo para polvora

Às vezes somos pegos de surpresa diante de certas diversidades da vida, coisas que vem nos acrescentar ou uma admiração por alguém que nem se faz idéia de quem seja, fico muito feliz, pois isso não é para qualquer uma mulher. E o fato de ser reconhecida é algo vibrante e coisas pequenas que valem a pena em nossas vidas.
Esse será o tema de nosso conto hoje, cujo nome será ?Carta do fogo para pólvora?.

Fogo...
(...) Eu te imagino uma menina escondida atrás de um botão de rosa, um perfume doce feminino e agradável, uma linda camisola e por baixo da camisola uma tanguinha fio dental de lacinho de lado, bem menina feita mulher com rendas e desenhos, meias e ligas na cintura, maquiagem no rosto, lápis nas sobrancelhas, batom nos lábios polpudos e generosos, as unhas pés e mãos esmaltadas, uma mulher conhecedora e sabedora do seu enorme poder de sedução sobre seu namorado.
Eu me vejo de sunga demarcando meu membro empinado e todo babado de tesão, sentado numa poltrona do nosso ninho de amor te tarando se trocar e se embelezar, se vestindo com pecinha intimas delicadas e fazendo de conta que não existo, que você esta em seu cantinho feminino se preparando para sair com seu namorado.
Quase gozando na sunga eu vejo uma menina doce e gostosa se transformando numa esplendida e maravilhosa mulher, muito vaidosa e muita segura de si mesma.
Sabe você que conquistara o coração do teu namorado e por isto você capricha cada vez mais em tua produção.
Antes de tudo você tomou um banho gostoso com sais aromáticos entre muita espuma de um sabonete liquido e cheiroso você se depilou e se livrou dos indesejáveis pelos espalhados pelo corpo.
É mais uma vaidade feminina, penso te observando enquanto você se produz de maneira a agradar ao amante namorado que espera fazer amor contigo de tudo quanto e jeito.
Através de exercícios constantes teu corpinho se moldou femininamente, o lindo bumbum cobiçado por homens é todo arrebitado, durinho e batidinho, a vagina e estreita e sempre se encontra molhada na espera do membro que ira violar tuas entranhas com um membro grande e grosso, o anus é depilado e pregueado em volta e constantemente visitado por membros masculinos ávidos por se enfiarem dentro de você, a cinturinha fina e as coxas torneadas e grossas formam o conjunto mais doce e gostoso de ver numa linda mulher como você.
Eu sou totalmente fissurado em você, em teu corpo, em teus lábios quentes e sensuais, nunca encontrei uma mulher que beijasse tão gostoso e de forma tão gostosa como você. Teu beijo tem o poder de incendiar meu corpo e me tornar todo excitado por você. Teus lábios em volta do pênis é algo de muito gostoso, pois eles envolvem a glande do pênis e realiza uma sucção no membro que é a coisa mais gostosa deste mundo.
Dentro de tua boca tenho a sensação de estar possuindo uma vagina bem molhada. Tua saliva facilita o ato de vai e vem dentro de tua boca. Tua língua é semelhante ao clitóris de uma mulher dando vontades de morder, de chupar, de lamber...
Teus dentes arranhando o pênis dentro da boca semelhante às unhas afiadas de uma gata no cio. Ejacular dentro da tua boca é tão gostoso que às vezes até esqueço de que ainda tenho e devo comer você, que ainda tenho que foder tua bocetinha gostosa e apertada.
Agora fazer sexo contigo é coisa de outro mundo. Vagina apertada, estreita, úmida, dando a sensação de chupetar meu caralho para dentro de você, quanto mais enfio em tua vagina mais tenho a sensação de que este túnel estreito e apertado nunca tem fim. Quando encosto minhas bolas do saco em tuas nádegas fico triste, pois gostaria que meu membro entrasse em você com as bolas e tudo o mais...
Uma característica que só vi em você até hoje é a força que tem os teus lábios vaginais. Da a impressão que ele vai nos esmagar que o caralho vais ser espremido da cabeça até a sua raiz. Com isto quando gozo e sinto tua vagina mordiscar minha rola, tenho a sensação única que estou viajando pela via Láctea de tão gostoso que é gozar dentro de você.
Com um olhar apaixonado e excitado eu vejo uma linda mulher se despontar diante de mim.
Teu perfume recende o quarto todo, tua beleza ofusca as luzes do cômodo, tua graça feminina e teu sexy appeal me deixam de tal modo inebriado por você que não consigo segurar mais, um gozo solitário toma conta do meu corpo e eu ejaculo grandes jatos de porra que melecam minha sunga.
Quando você vê o estado que me encontro fica com pena e dó de mim. Gentilmente você abaixa minha sunga e vê meu pênis bater em teu roso. Com o cheiro forte de esperma em meu membro você se sente excitada e gostosamente envolve meu caralho com tuas mãos doces e delicadas.
Abaixa o rosto e envolve com teus lábios meu cacete todo melado e babado após ter gozado solitariamente, não consegui resistir à seção de Streep executada por você.
Lambe a chapeleta e sente o gostinho de esperma em tua boca, os resquícios de esperma que envolve o membro a tua língua lambe e degusta gostoso sentindo no paladar um sabor salgado e meio amargo, mas que para você é a bebida mais gostosa e mais excitante que pode existir no mundo.
Iniciando uma gostosa chupeta com gostinho de porra você vai batendo uma punhetinha e chupetando meu caralho. Excitado e sentindo calafrios na espinha eu sinto que não vou segurar por muito tempo e quando vou ver sinto que estou começando a gozar novamente.
Enfio meu membro até o fim em tua boca e seguro tua cabecinha enquanto ejaculo dentro de sua boca mandando o esperma direto para tua garganta.
Sufocada com tamanha ejaculada na boca você sente ânsias, mas eu não dou trégua enquanto não ejaculo a ultima gota em tua garganta.
Quando solto tua garganta você põem para fora o excesso de porra e vejo uma gota ficar pendurada em teu queixo.
Com meu dedo a recolho e dou em tua boca para você engolir, coisa que você faz com o maior prazer.
Tanto prazer para se arrumar e vem para mim... Eu e estrago toda tua maquiagem, rs.
Não tenho problema penso eu, vamos tomar banhos juntos e lá eu você comer bem gostoso tua vagina e teu cuzinho estreito e apertado.
Beijos, do seu fogo (...)
Resposta da pólvora

Suas palavras me incendeiam como fogo vivo pensando em nós e em nossos momentos maravilhosos que me entrego em seus braços deixando tu me fazeres sua amante mulher inteira, seu cacete majestoso molhando meu rosto e eu lambendo com tanto prazer, que pode ter certeza não seria como você imagina com toda certeza não deixaria escorrer nada de minha boca nem ao menos escorrer, pois engoliria tudo.

Meus sonhos são contigo, minha vida tem sido empenhada em sentir você e seu grandioso membro me delatando em todos os buracos possíveis onde seu pau pudesse penetrar, sua porra tem que se espalhar em meu corpo, eu alisaria os bicos dos meus mamilos na sua boca e te acalentaria como uma criança sungando o leite de sua mãe e a minha buceta toda molhada de desejo, pronta a se entregar para você meu homem.

Tenho febre de desejos, alucinações e vivo me masturbando com meu pau de brinquedo, pensando o dia que finalmente todo você será meu e minha boca ficara cheia de água sentindo o cheiro do meu macho, meu homem...

Sou sua de cabeça e alma sua voz rouca e minha boca seca, gemendo em um só orgasmo que virá múltiplas vezes eu gemeria em seu ouvido e diria:- MAISSSSS... ME FODE... PRECISO DE VOCÊ! MEU AMOR!...

A vida sem você já não é a mesma, preciso do seu amor, do seu sexo, da sua voz e do seu membro desnivelando minha alma corrompida de prazer!

Gostaram?
Criticas ou elogios
Email leniborges23@yahoo.com.br

Quero sua opinião!!!

Milhões de pessoas possuem desejos secretos... Eu não sou exceção. Contudo, o problema é quando o desejo secreto deixa de ser secreto e alguém compartilha.

Sou estudante universitária (gosto de usar o gênero feminino, apesar de ainda ser menino) e divido uma kit com um amigo que conheci no primeiro ano.

Márcio (esse não é o nome verdadeiro dele) está um ano na minha frente, faz o mesmo curso. Tem 1,90, olhos castanhos e bem desenhados, cabelo curto e liso e corpo estilo atlético. É um rapaz lindo, o que muitas mulheres gostaria de ter, muito dedicado aos estudos e atencioso com as pessoas.

No segundo ano, depois de muitas conversas sobre sociologia, filosofia e antropologia, decidimos rachar uma kit perto da universidade. Fizemos uma festa. Eu, mais uma vez, amargurei ficar sem ninguém. Naquele tempo era virgem.

Foi-se dias e dias e nada de novo acontecia.

Eu particularmente, esperava Márcio ir para a aula nas tardes de quinta (quando eu não tinha aula e nem trabalho) para navegar com meu notebook em sites de shemales e crossdress. Eu trancava toda a Kit e o meu quarto. Lá no quarto, vestia-me com as roupas femininas que havia em segredo comprado. Era quase sempre o mesmo ritual, vestia-me e entrava nos sites para assistir os videozinhos e ficava horas imaginando-me ser uma delas (só assistia as shemales e cds que davam, como se fossem mulheres) e depois acabava enfiando no meu cu um pedaço de borracha que tinha formato e comprimento de um pinto.

Certo dia desses, entrei em um site e assisti um vídeo em que a Carolzinha tinha a minha cara. Exceto o fato dela ser loira ? meus cabelos, compridos, são pretos e lisos.

Fiquei pasma! Meu Deus como pode alguém ser tão parecida comigo! Meu tesão e excitação foram tão grandes que tive ímpetos de aparecer em público. Gozei duas vezes no mesmo dia... não conseguia parar de ver o vídeo e comparar tudo dela comigo.

O modo dela rebolar no colo do cara, o jeito de sentir tesão... tudo parecia comigo! Era como se eu tivesse uma irmã gêmea... Cheguei até duvidar da minha sanidade ?estaria eu alucinando uma sósia, devido ao intenso desejo de dar, sentir-me desejada e possuída?? Meu raciocínio foi totalmente abalado! E como resultado primeiro depilei todo meu corpo e cada vez mais queria mostrar para alguém a curiosidade de ter uma sósia fazendo o que eu gostaria de fazer secretamente.

Alguns dias depois destes fatos, Márcio continuava a não desconfiar de nada das minhas secretas excitações. No entanto ocorreu-me a idéia de algum dia mostrar o vídeo de minha sósia. Seria apenas para matar o desejo de mostrar alguém que parece comigo. Planejava dizer que foi um amigo que não se identificou e enviou-me o link. Assim fiz: numa sexta feira que não tinha quase nada para fazer, pois grande parte dos alunos da universidade voltam para casa, encontrei ele lendo um texto de Focault. Comecei então a conversar com ele sobre o autor e então, antes de eu falar, ele citou ?A história da Sexualidade? ? do mesmo autor. Dali em diante, o assunto foi para o campo ?da atitude que o sociólogo deveria ter perante o preconceito?. Foi a deixa para eu dizer que o ?anonimato? é a maior forma de preconceito e que como exemplo eu havia recebido um vídeo, com destinatário anônimo, com uma crossdress sósia minha transando. Meu Deus... gelei ao dizer isso!

Ele olhou para mim, franziu a testa e num sozinho estranho, que não consegui interpretar, pediu-me para ver o vídeo.

Busquei o notebook e então abri o vídeo e mostrei. Nooosssaaa... foi uma sensação de tesão e vergonha misturados.

Ele então, com o mesmo sorriso, olhou para mim e disse: - Sabe, se vc arrumar o cabelo como o dela vai ficar quase igual, só restando pintar de loiro...

Sem jeito eu disse: Eu não... ochi.

No dia seguinte, sábado, eu não tive tempo de olhar a Internet. Minha vontade estava quase insuportável... nesses dias eu visto uma calcinha por baixo da roupa ? para aliviar um pouco. Mas, naquele sábado, não foi só a calcinha... lembrei da sugestão de Márcio e arrumei meu cabelo tal como a cd do vídeo. Além disso, passei brilho nos lábios, fiz uma leve maquiagem e fiquei em casa... aí... quando ele chegou e olhou-me no meu quarto eu meio efeminada, ele desenhou aquele sorriso estranho.

Sem pestanejar ele entrou no meu quarto e perguntou-me:

- e aí, vc já desconfia de quem lhe enviou o vídeo?

Não lembro o que respondi, porém começamos a pensar como deve ser a vida dessa pessoa que parece comigo.

Márcio disse que devia ser ruim para ?a moça? vestir-se daquele jeito em ambiente sociais. Respondi que não e que muitas iguais a ela gostariam de um dia fazer isso... mas que fossem reconhecidas em suas feminilidades. Daí, concluía eu, não era motivo de vergonha ou mico, vestir-se daquela forma.

Não deu outra: Disse a ele que vestiria-me de mulher para provar que não havia nenhum problema.

Assim fiz: ele foi para o quarto dele e eu maquiei-me novamente (agora de forma bem feminina) e coloquei um babydoll semelhante ao de minha sósia. Dessa forma fui ao quarto dele e encontrei deitado na cama ? com o controle da tv na mão ? e um enorme volume na bermuda.

- Aí Márcio, ta vendo?

- Hummm ta igualzinha sua sósia. ? falou ele com a mão por dentro da calça.

- éhhh meu querido ? eu imitando mulher com a mão na cintura ? mas vc não é igual ao namorado dela.

- Sei... mas eu tenho... ? parou a frase no meio.

Eu não agüentei e então cheguei perto dele e disse desenhando:

- uhhh isso o que? ? sentei na beirada da cama e coloquei a mão.

Não suportei ficar segurando por mais de dois segundos. Montei em cima dele (tal como no vídeo) e comecei a rebolar e rebolar. Esfreguei com toda vontade minha bunda no pênis dele.

- Epa! Que vontade heim... ? Disse ele passando a mão nas minhas coxas enquanto eu delirava rebolando sem parar. ? hummm gosta disso né...

De repente ele puxou-me para cima ? como se quisesse se livrar de mim ? e disse:

- Mas antes vai ter que chupar...

Levantei, nos beijamos na boca por um bom tempo ? foi lindo, nossas línguas entraram em sintonia. Depois me afastei um pouco até ficar de frente ao pau dele. Chupei, chupei chupei e chupei, pela primeira vez, um pênis de verdade. Aí... foi muito gostoso.

Enquanto ele segurava minha cabeça e dizia algumas safadezas, eu me sentia eu mesma segurando e abocanhando aquele lindo pau.

Aí... foi muito gostoso. Levantei-me, beijei-o na boca e montei novamente meu bumbum sobre o pau dele.

Ficamos ali alguns minutos roçando, beijando e nos alisando até que eu disse: - vou tirar minha calcinha.

- Não, é só colocar de lado.

Ele puxou minha calcinha de lado ? lembrei do vídeo da minha sósia ? e tentou acertar meu cu com a cabeça de seu pau. Sem demoras, coloquei minha mão no pau dele e coloquei no caminho certo: A cabeça do pau dele na entrada do meu ánus... foi a coisa mais gostosa que fiz.

O Pênis dele começou a penetrar e alguns minutos depois estávamos tão felizes... eu pulava feito uma louca até que ele pediu...

- Rebola... vai... rebola...

Rebolei, rebolei e rebolei..

No final.. eu e ele gozamos quase juntos. Eu gozei uns três segundo antes...

Depois, ficamos ali pelo resto da noite... Certa hora eu acordei com uma sensação tão gostosa... ele estava atrás de mim abraçado ao meu corpo.

Quando amanheceu... fizemos tudo novamente e no ato eu pensei: Agora não tem mais volta, sou fêmea...

Na quinta passada... ou seja, na nossa terceira transa, ele me fez uma proposta: Quer que eu assuma minha feminilidade para que ele passe a namorar comigo. Disse-me que queria-me como 100% fêmea.

Aí... eu não sei. Em toda minha vida (20 anos) só transei com ele. Que vocês acham? Me ajudem!

Dei uma de bebada e acabei com o cú estourado


OLA AMIGOS! MEU NOME É SANDRA TENHO 34 ANOS, MORENA, SEIOS FARTOS E UM BUBUM DE DAR INVEJA DA QUELES TIPO MULHER MELANCIA .

MORO EM MG, COM UM SOBRINHO DE 23 ANOS QUE ESTAR ESTUDANDO AQUI NA CIDADE E DIVIDE AS DISPESAS COMIGO. SEMPRE ESTAMOS JUNTOS SAINDO, BEBENDO E ETC.

ATE QUE UM DIA QUANDO CHEGAMOS DE UMA FESTA, ESTAVA UM POUCO EMBREAGADA, MAS CONSCIENTE E FUI DORMI DEPOIS DE UM TEMPO PRECEBI QUE MEU SOBRINHO ESTAVA PASSANDO A LINGUA NA MINHA XANA. ACHEI UM ABSURDO ME VIREI E ELE SAIU.

NO OUTRO DIA NAO DISSE NADA E NEM ELE . A NOITE MEU NAMORADO FOI PRA CASA COMIGO PRA PASSAR O SABADO E O DOMINGO BEBEMOS BASTANTE E QUANDO BEBO FICO MUITO LOUCA CHEIA DE VONTADE DE DAR BASTANTE, ADORO DAR O CÚ. MAS MEU NAMORADO NAO GOSTAR DE COMER FICO LOUCA DE RAIVA.

SEMPRE ESCULTAVA MEU SOBRINHO COMENDO ALGUMAS MENINAS QUE ELE LEVAVA PRA LÁ E ELAS FALAVAM COME MEU CÚ ASSIM GOSTOSO COME, FICAVA MORRENDO DE INVEJA.

MEU SOBRINHO SEMPRE QUE TINHA OPORTUNIDADE PASSAVA A MAO EM MIM OU LAMBIA MINHA XOTA.UM DIA RESOLVI QUE IA DAR PRA ELE, COMPREI VARIAS BEBIDAS INCLUSIVE VODKAS DERRAMEI UMA E TOMEI ALGUNS GOLES. AI ALGUÉM TOCOU A CAMPANHIA DA PORTA QUANDO ABRI ERA O MARCOS AMIGO DO MEU SOBRINHO PERGUNTOU POR EL E EU DISSE Q ELENAO ESTAVA, MAS QUE ELE PODERIA ESPERAR QUE ELE JÁ ESTAVA VOLTANDO.

ELE ENTROU E COMESAMOS A CONVERSAR AI FOI ROLANDO EU DANDO UMA DE BEBADA COMECEI A ALISAR SEU PAU E ELE ME BEIJANDO AI FOMOS PRO QUARTO E ELE COMEÇOU A ME CHUPAR E EU FAZENDO- ME DE BEBADA QUE NAO PODIA NEM FICAR DE PÉ E CAIR DEITADA NA CAMA E ELE NAO PAROU ENFIOU A PICA NA MINHA XOTA E METIA COM FORSA.

A QUILO DEVIA TER UNS 19 CM NOSSA Q GOSTOSO E PRA MINHA SUPRESA MEU SOBRINHO CHEGA COM MAS DOIS AMGOS E VE AQUELA SENA E FICA PUTO DE RAIVA VENDO A TIA SENDO COMIDA BEBADA. MAS MARCOS O MANDA VIN TAMBEM COMER ELA TA A FIM DE PICA E VAMOS TODOS OS COME-LA E SE VOCE NAO QUISER SAI.

PODEM COMER ELA EU VOU FICAR OLHANDO TUDO, ESTAVA ACREDITANDO FILHO DA PUTA NAO VAI ME COMER TODOS ME FUDERAM E GOZARAN EM MIM .MEU SOBRINHO LEVANTOU E DISSE AGORA É MINHA VES LAMBEU MEU CÚ E SEM DOR ENFIOU 27 CM DE PICA NO MEU CÚ FOI UMA DOR INSUPORTAVEL AI GRITEI AIIIIIIIII SEU FILHA DA PUTA.

AI ELE DISSE VOCE NAO GOSTA DE OUVIR QUANDO ESTOU COMENDO O CÚ DAS MINHAS NAMORADAS AGORA TOMA VAGABUNDA CACHORRA TOMA PICA E COMEÇOU A BOMBAR TIRAVA E COLOCAVA TUDO SEM PENA, MARCOS PEDIU PRA COLOACR NA MINHA XOTA E FICARAM OS DOIS. UM NA XOTA E O OUTRO NO CÚ Q DELICIA GOZEI VARIAS VEZES.

OS OUTROS DOI SE LEVANTARAM E COLOCARAM NA MINHA BOCA CHUPA PIRANHA VOCE VAI FICA AROMBADA HOJE. UMA PICA NO CÚ OUTRA NA XOTA E DUAS NA BOCA.

TUDO DE BOM, NAO PARAVA DE GEMER FOI QUANDO MEU SOBRINHO DISSE QUE EU AGUENTAVA OUTRA PICA NO CÚ, LOGO UM DOS RAPAZES Q ESTAVA COM A PICA NA MINHA BOCA VEIO E DISSE EU COLOCO.

MAS DISSE, NAO AGUENTO MEU SOBRINHO DISSE AGUENTA SIM. ME SEGURARAM E DETONARAM MEU CÚ DUAS PICAS NO CÚ ERA DEMAS.

CHORAVA DE TANTA DOR, MAS ESTAVA GOSTANDO GOZARAM LA DENTRO NO FUNDO DO MEU RABO. OS OUTROS TAMBEM GOZARAM AI FUI TOMAR BANHO E VI O ESTRAGO.

COLOQUEI A MAO DENTRO DO CÚ DE TAO ABERTO Q TAVA E ARDIA FEITO BRAZA, PASSEI 15 DIAS SEM SENTAR DIREITO . AGORA SEMPRE TENHO ALGUEM PRA MIM ARROMBAR QUANDO QUERO

ALGUEM QUER ARROMBAR MEU CÚ?

VIAGEM COM MINHA MELHOR AMIGA

Eu sou casada, tenho hoje quase 40 anos e há exatos cinco anos, fiz uma viagem a trabalho com uma amiga, que na época era solteira e tinha 26 anos.

Ela era noiva, mas no banco todos sabiam que ela era bem safada. Ela era na verdade linda, gostosa e escolhia muito bem os homens com que transava. Nós nunca havíamos conversado sobre intimidades, mas nesta viagem o papo rolou.

Na primeira noite meu marido me ligou, eu estava no quarto com minha amiga, Paula, só de calcinha e meu marido falou tanta besteira que minha calcinha ficou toda molhada.

Paula percebeu e disse que ficando daquele jeito na primeira noite, eu não resistiria e iria trair meu marido. Eu disse que isto não aconteceria. Ela disse que não iria desperdiçar uma semana longe do noivo e que até o final da viagem iria achar um 'macho' latino.

Ela era linda, pele lisa, com a xoxota toda depilada. Apesar dos meus quase 35 anos, dois filhos também estava inteira. Bumbum durinho e bem rebitado.

Muito bem, quando chegou no meio da semana, decidimos ir a uma night clube que ficava próximo ao hotel. Todo dia passávamos em frente e havia um anúncio de que na quinta-feira seria a noite da minissaia e mulheres com minissaia não pagavam consumação e tinham direito a dois drinks.

Saímos do trabalho, fomos a um shopping e compramos nossas minissaias, pois não tínhamos levado na bagagem. Eram bem minissaias, mas bem transadas. Compramos também duas blusinhas daquelas que deixam os seios bem a mostra e calcinhas minúsculas, pois as sainhas pediam calcinhas pequenas. Paula tinha seios grandes. Os meus são normais, mas ainda durinhos.

Fomos também ao cabeleireiro e a Paula me convenceu a depilar-me inteira para quando voltasse fizesse surpresa ao meu marido. Eu disse a ela que iria à night club, mas que seria só para divertirmos.

Ela disse que se encontrasse um macho lindo ela iria transar naquela noite e, eu disse que desde que fosse em outro quarto.Eu disse ao meu marido que naquela noite teríamos um trabalho até mais tarde e depois um jantar de confraternização e que não daria para nos falarmos.Estávamos super bem produzidas e fomos à night.

O lugar era super transado. Gatos e gatas com micro saias por toda a parte. Conseguimos uma mesa próximo à pista de dança o que nos privilegiava em olhar os gatos na pista. Logo que chegamos tomamos um drinque e fomos dançar. Logo que chegamos à pista fomos cercadas por três garotões maravilhosos.

Começamos a dançar juntos e ficamos na pista por um bom tempo. Eu e Paula somente trocavamos sorrisos, mas eu percebi que ela havia escolhido um dos três, que era o mais alto e talvez o mais lindo, mas os três eram deliciosos.

Paula e o garotão que ela havia escolhido foram para a nossa mesa e eu fiquei com os dois na pista. Eles começaram a me rodear e me deixar como sanduíche. Até aí era só diversão. Cansei-me e fomos até a mesa. Paula já estava agarrada ao seu garotão e ele já com a mão enfiada entre suas pernas. Pensei comigo, e agora? Sentei-me e cada um dos outros dois sentaram-se um de cada lado. Fiquei no meio dos dois, começamos a conversar e a beber.

De repente sinto algo na minha cabeça e era a calcinha da Paula que o Dany havia tirado e jogado para mim. Eles voltaram à pista e o Dany parecia um polvo tanto a voracidade que ele passava as mãos pelo corpo da Paula.

Os dois, Renan e Ricardo pareciam que estavam esperando com quem eu gostaria de ficar. Eu estava decidida a não ficar com ninguém. Minha aliança mostrava claramente que eu estava ali só para me divertir.

Lá pelas 2 horas, decidimos ir embora, na verdade fomos convidadas e fomos para uma sorveteria. O Dany e a Paula foram no banco da frente e eu com os dois atrás. Cada um do seu lado. De repente, a Paula se abaixa e nitidamente passa a fazer um boquete no Dany.

Renan e Ricardo viram aquilo e imediatamente começaram a alisar minhas coxas. Eu também já estava com tesão e resisti pouco àquela investida. Renan então tirou seu pau pra fora e pediu para mim chupa-lo. Eu disse que não, então a Paula disse, para que fossemos todos ao hotel tomar um vinho e topei.

Nosso quarto era enorme, já sabia que eu havia chegado ao limite da resistência e que a partir daquele ponto, tudo poderia acontecer. Entramos no quarto pedimos o vinho e a Paula e o Dany começaram a se amassar e a Paula então tirou o cacete dele pra fora.

Era algo descomunal, fiquei morrendo de ciúmes. Era enorme no comprimento e na circunferência. Ela se ajoelhou e disse, amiga não quero perder só um segundo. Nisto o Renan e o Ricardo literalmente me jogaram na cama e me despiram. Eu que disse que não trairia meu marido estava lá, logo com dois.

Eles tiraram a pouca roupa que eu tinha e enquanto um me beijava o outro me chupava. Estava sedenta e me levantei e disse agora é minha vez, quero ver estes dois cacetes. Eles então tiraram as calças e ainda que não fossem tão grandes como o do Dany eram bem avantajados. Sentei na beira da cama, eles ficaram de pé e comecei a chupa-loscom muita vontade.

Nisto ao lado, o Dany já estava enfiando o cacete enorme na xota da minha amiga, que gemia como uma cadela. Renan então ajoelhou-se, abriu minhas pernas e passou a me chupar. Já estava encharcada.

Minha amiga com voz de puta e gemendo disse a eles que eu adorava dar o cú (nunca havia dito isto a ela, mas era verdade) e que ela queria ver os dois me arregaçando. Renan me virou de quatro e passou a chupar meu rabo deliciosamente. Na frente eu chupava o cacete do Ricardo.

Meu cú já estava molhado com a saliva do Renan e o gozo da minha xota. Renan então falou pro Ricardo, par ou impar e eu disse nada disto, eu escolho quem eu quero primeiro. O Dany do lado já havia gozado e na cara da Paula e os dois passaram só a nos observar.

Disse que haveria para todos, inclusive o Dany se ele quisesse e minha amiga deixasse e disse para o Ricardo que queria rola, mas muita rola mesmo. Ele deitou-se e mandou que eu sentasse no seu cacete. Eu sentei e no início doeu um pouco, mas comecei a cavalgar enquanto o Renan alisava meus seios.

Comecei a gemer de prazer e um pouco de dor, mas o Ricardo gozou logo e muito, pois senti meu cú ardente de porra. Ele gritou como um animal de tanto tesão. Renan disse que não podia perder tempo e queria comer logo meu cú. Nisso o Dany já estava de rola dura de novo e disse, não, eu vou alargar este cú para você.

Paula o incentivou, mas disse que enquanto isto ela queria mais cacete e o Renan então passou a fode-la. De quatro, o Dany começou a enfiar aquela rola enorme no meu cú. No que entrou a grande eu dei um grito de dor enorme, mas ele não parou e continuou a socar.

Como ele já havia gozado com a Paula a segunda estava demorando e ele socava sem dó. O Ricardo já havia se restabelecido e colocou seu cacete na minha boca e os dois ficavam me chamando de puta, vagabunda. Meu cú estava em chama até que finalmente o Dany gozou e bem fundo ele simplesmente socou tudo que podia e sentia suas bolas batendo na minha bunda.

Quando ele tirou o cacete, senti que o estrago havia sido grande, mas estava realizada, pois uma mulher que se preze e, entre quatro paredes tem que satisfazer o macho ou os machos neste caso. Estava exausto e então o Renan pediu para a Paula chupar meu cú.

A porra escorria entre minhas pernas e minha xota. Ela então passou a me chupar e sua língua entrava fundo, pois meu rabo estava arregaçado. Finalmente, o Ricardo veio e comeu minha xota que estava simplesmente encharcada. Ele demorou para gozar e foi uma das melhores gozadas de minha vida, pois estava completamente realizada, gozada, fudida, arregaçada.

Ficamos mais algum tempo conversando até que tivemos que manda-los embora, pois o dia já clareava e nós ainda tínhamos que trabalhar. Tomamos banho juntas e Paula me deu um banho delicioso e no pé do ouvido me disse..........sabia que você era uma putinha, mas não tão vagabunda e hoje à noite vamos ficar juntas só nós porque eu fiquei com tesão de te chupar toda. Eu perguntei, mas sem penetração não tem graça...........ela disse, você verá...........................e o resto eu conto depois.............

Sexo delicioso com o Gerente, inesquecivel essa aventura

Bem meu nome é Luciana, tenho 24anos e casada a 5anos, como todos os casamentos acaba virando rotina e o meu não seria diferente e não temos filhos. Eu e ele trabalhamos, eu por trabalhar numa padaria saio mais cedo do que ele pra trabalhar e como é um bom marido ele me leva todos os dias pra o meu serviço que é no mesmo bairro que eu moro.

Trabalho em umas das lojas entre duas que o meu patrão tem que são no mesmo bairro e sou a Gerente de uma delas e na outra e o Bruno que é casado também. Desde o começo nos dois sentia atração um pelo o outro, mais não podemos de mostrar pelo o fato de nos dois sermos casados e responsáveis pela loja.

Não podíamos ser o mau exemplo, mais sempre que podemos ficávamos um seduzindo o outro para por ser homem era normal ele ficar com outras mulheres e com a mulher não ela é vista como pauta.

O tempo foi passando e o tesão por ele ia aumentado a cada dia mais, toda vez que ele chegava perto de mim eu me sentia como um vulcão e isso acontecia com ele também. Uma certa dia, conferindo as mercadoria do estoque ele chegou da outra loja para ver se tinha um produto que faltava em sua loja, foi quando viu que estava sozinha.

Me agarrou por trás, com forço beijando o meu pescoço me acariciado passando a mão na minha buceta, nos meus seio e querendo e ao mesmo tempo não querendo, pois tinha muito medo de que alguém entrasse ali e nos pegasse.

Sentia que ele estava com muito tesão, pois ele me apertava para sentir aquele pau na minha bunda, me virou e me deu um beijo de tirar o fôlego. Sentia o pau dele latejar de tanto tesão, estava toda melada, pois a muito tempo queria faze só que a minha alegria demorou pouco. Porque estava vindo alguém e estávamos daquele jeito, era uma funcionaria que veio me chamar, porque tinha chegado mais mercadoria para conferir.

Ele se escondeu á tempo, pedir a ela para avisar que estava indo e ela foi, ufa foi por pouco pedir que ele saísse por trás, quando estava saindo ele me puxou e me deu um beijo e disse no meu ouvido que eu era dele, que da próxima vez eu não escaparia e deu um sorriso de um homem cafajeste.

Fique com aquilo na cabeça, doida por aquele homem. Não esquecia o jeito que ele me pegou o jeito que me tocava eu gosto assim ele tinha uma pegada que o meu marido não tinha. Se passou dois dias depois daquilo e como sempre chegava ao meu horário para adiantar as coisas e ficava sozinha esperando a minha turma chegar.

Foi num sábado que ele veio pra minha loja deixando a dele com um funcionário lá dizendo que iria fazer uma entrega, tomei até um susto quando ele apareceu do nada me chamou nos fundos para que ajudasse ele pegar algo. Fui estava meio escuro com uma lâmpada acesa der repente ele veio com um sorriso malicioso com um olhar de desejo tentei fugir e ele me segurou contra parede e me beijou tinha medo, pois nunca tinha traído o meu marido.

Tentava fugir mesmo sem querer sair, foi quando ele me segurou as minhas duas mãos pra cima com uma das mãos dele. Ele me beijava e me acariciava com a outra mão, ele abriu a minha blusa que era de fexicler acariciando os meus seios e desceu com a mão até a minha calça e abrindo o botão chegando até a minha buceta que estava toda molhada.

Fui me levando por aquele desejo, ele viram que eu não ia sair soltou as minha mão tirou a minha blusa lambendo os meu seios com os lábios macios no meu bico estava ao delírio e ele desceu tirando a minha calça e começou a chupar a minha buceta que delicia.

Gemia de prazer e ele lambia com desejo e depois ele mordia o meu grelo, ele me disse que queria sentir eu gozando na língua dele não pensei duas vezes goze como nunca tinha gozado. Chupava aquela fera que saia da minha buceta foi então que eu comecei nele abrindo a sua calça e disse que ele nunca ia esquecer daquele boquete que ia fazer nele, comecei que lindo o pau dele com a cabeça vermelha latejando chupei o pau dele como louca enfiava até na minha garganta e lambia a cabeça chupava na aquele vai e vem.

Olhava com um olhar de pauta pra cima e ele segurava no meu cabelo e dizia que era gostosa e que o deixava louco com aquele olhar de uma pauta. Quando ele ia gozar ele puxou o meu cabelo e me disse que eu ia sentir a sua pica na minha buceta. Me virou de costa e me meteu com força que delicia ele dizia ao meu ouvido que era uma delicia puxando o meu cabelo e dando tapa na minha bunda. Que sensação boa quando ouvir ele gemendo que até gozou na mina buceta.

Sentir um jato quente sair dentro dele, depois ele se abaixou e chupou a minha buceta para que eu gozasse de novo. Que maravilha gozei na sua boca e ele veio subindo com a língua chupou os meus seios e disse que era gostosa.

Vestimos-nos e quando ele estava indo disse que nunca comeu uma mulher como eu e que este momento ele nunca vai esquecer. Que seria dele para sempre e foi para a sua loja. Depois mais ou menos cinco min os meus funcionários chegaram e não encontrou nada pronto e disse que tinha perdido à hora. Até hoje ficamos e somos amantes inseparáveis e ninguém nunca desconfiou de nos. Tenho mais história pra contar só que vai ser da próxima vez. Beijos e até mais.

Eu,ele e Cléu

Eu e meu amado Fred, já estávamos namorando cinco anos, apesar de termos uma vida sexual cheia de delírios e loucuras. Onde às vezes fazíamos até mesmo penetração dupla. Fred enfiava meu brinquedinho de 30 centímetros e bem grosso por sinal e sentada de frente para ele e nós olhando pelo espelho.

Ele enfiava seu pau, que também não era nadinha pequeno no meu cuzinho enquanto o brinquedinho funcionava pela frente e para nosso delírio. Fred ficava observando meu rosto de taradona que sábia como ninguém me expressar. Então como doidos gozavamos alucinadamente.

Só que já havia algum tempo que Fred me pedia algo! Ele desejava trepar comigo e com uma outra mulher,de inicio eu relutei. Mas, deveríamos sim ter essa experiência...
E foi assim que conhecemos Cléu, estávamos em um site de bate-papo e havia uma moça conversando com várias pessoas ela se intitulava de Cléu e eu comecei a conversar com ela, depois de muito conversar a jovem me revelou ser bissexual, foi ai que olhei para Fred e disse:- eis a nossa chance de realizarmos o seu desejo.

Eu convidei Cléu,para ela vir a nossa casa já que a moça era casada e eu não desejava complicações a ela.Cléu veio na hora marcada e depois de conversarmos e bebermos, para relaxarmos. Falamos de nossos desejos e disse que gostaria muito que fosse com ela, já que Fred tinha o desejo de transar com uma morena e uma loira e para a nossa felicidade Cléu era loira.

Eu e Cléu começamos a nos alisar já estávamos bem altas devido às bebidas e beijei a boca daquela mulher. E aqui para nós, como ela beijava bem, sua boca carnuda e sua língua entrando em minha boca. Nossa!

Cléu não perdeu tempo e já foi começando a alisar e mamando meus peitinhos, onde ela chupava com tanta força, que só nos seus chupões minha xaninha ficou toda molhada e sem perder mais tempo comecei a enfiar meus dedos naquela coisinha entre suas pernas tão gostosinha e quentinha que ela guardava, para usar somente em momentos especiais.

Enquanto Fred já com o mastro delatado de tão duro começava me beijar, Cléu não perdia tempo e beijava o corpo dele, logo em seguida Fred vinha e lambia a xana de Cléu e eu beijava sua boca, pois queria sentir o gosto daquela mulher excitada através da boca dele. Cléu se posiciona e começa a chamá-lo de gostoso, safado, cachorro...Logo depois ele se afastou e começamos a nos pegar se lambendo e nos esfregando nossas xanas molhadas e encharcadas de tezão...

Depois disso o meu homem já estava alucinado, seu pau duríssimo e começamos a mamar o pau dele,tinha horas que mamava suas bolas e minha querida amante chupava o cacete dele, depois de chuparmos bastante.Fred pega Cléu pelos cabelos e joga ela sobre a cama e enquanto ele chupa a xana dela eu chupo o pau maravilhoso do meu homem.

Ele estava se deliciando chupando ela e eu com aquilo todo socado em minha boca.Cléu goza na boca dele e eu vejo aquele melzinho escorrendo de dentro dela. O afasto e começo a lamber aquele suco do prazer de Cléu, enquanto isso meu macho começa a me chupar também.E logo estou gozando como uma louca:- Aiiiiiiii! Que gostoso!!!!!!!! Tezudo!!!!!

Cléu começa a pedir a ele, que meta nela:- agora me fode filho da puta! Quero seu pau todo dentro da minha buceta.Ele a coloca de quatro e ela empina a bunda, logo Fred está todo dentro da bucetona de Cléu e sem perca de tempo.Ela é socada e muito bem socada deslizando fácil.

Cléu solta um grito de prazer e fala: -"aiiiiiiii cachorro fode essa buceta"! E ele mete forte, enquanto eu chupo os peitinhos de Cléu. Que não está mais aquentando.

Fred pediu para que para mim deitar de frente a Cléu e ele ordena a ela:- "agora chupa a buceta desta puta safada, rebola essa bucetona no meu pau sua vadia safada. E Cléu goza, como louca gritando e uivando como uma cadela no cio.

E ele me pedi para beija a boca daquela puta safada "quero vocês se beijando enquanto fodo as duas" com isso ele vai metendo na buceta de Cléu e me comendo também.Já quase louca digo:- "agora quero este cacet no meu rabo" "vem arrombar meu cu cachorro" "soca este caralho fundo no meu cuzão de puta" com isso ele tirou da minha buceta e socou no meu cu.

Nesse momento Cléu sai de baixo de mim e vira ficando por baixo da minha buceta me lambendo e as bolas do meu macho, depois de algum tempo que Fred me comia de quatro ele retira aquele mastro e que mastro.

Cléu sobe sobre ele e sem nenhuma reserva, ela vem com tudo e meti o pau de Fred no seu cú.Eu vou chupando o cacete dele. Então eu e Cléu nos olhamos e pedimos:- Fred goza gostoso, queremos beber seu leitinho quente! Ele começa a segurar o cacete e logo, estamos nos banhando com aquele jato gostoso, que meu homem tem. Desta forma sempre chamamos nossa amante Cléu,que é uma delicia de mulher!

Esse conto foi escrito por mim e meu amigo Fred.
Caso tenha gostado ou deseja fazer criticas meu email: leniborges23@yahoo.com.br

   

Visitas.